Imprensa

Thrush Aircraft anuncia novo presidente, dentro de seu plano de recuperação

/ /

A fabricante norte-americana de aviões agrícolas Thrush Aircraft está sob nova direção desde a última semana. O novo presidente e CEO da empresa, Mark McDonald, foi anunciado na quarta-feira (6), dentro da terceira etapa do plano de recuperação da empresa, iniciado no final de agosto. Situada em Albany, no estado da Georgia, a Thrush é uma das maiores fabricantes mundiais de aviões agrícolas.

No final de agosto, o ex-presidente Payne Hughes (que esteve por 13 anos à frente da empresa) anunciou que haveria troca no comando da empresa e que o plano de recuperação incluía também a demissão de parte de sua força de trabalho. No dia 5 de setembro, a empresa apresentou seu pedido de recuperação no Tribunal de Falências no Distrito Médio da Geórgia. A Thrush demitiu 113 funcionários, parte dos quais ainda esperam ter seus postos de volta com a recuperação da empresa.

O pedido de recuperação foi a fase dois de um plano de três etapas anunciado pela Thrush – a primeira foi o anúncio de que haveria reformulação na direção e a demissão de funcionários. Já a nomeação de Mark McDonald foi a largada para a etapa três, que vai até o início de 2020. “Os problemas que a empresa teve que superar tinham pouco a ver com a qualidade do nosso produto, e nada a ver com a qualidade do nosso pessoal”, assinalou o novo presidente, em comunicado distribuído pela Thrush à imprensa.

Já o vice-presidente Eric Rojek, que segue no cargo (desde 2008), destacou que a nova equipe de liderança da Thrush será apresentada na Convenção Anual da Associação Norte-Americana de Aviação Agrícola (NAAA Ag Aviation Expo) – na qual o Sindag deverá estar presente, de 18 a 21 de novembro, em Orlando, na Florida. “Teremos muito mais sobre o que falar nas próximas semanas”, comentou Rojek, também no comunicado à imprensa.

Atualmente com modelos utilizando turbina PT6A e GE Aviation H80, com capacidade de hopper de 1930, 2082 e 2687 litros, a Thrush também entrou em 2018 no mercado de modelos para combate a incêndios, com o 510G Switchback e está em processo de certificação do 710P FireBird. Sem falar no modelo Arcanjo, uma versão militar comercializada pela empresa bélica Iomax.

A fabricante norte-americana tem cerca de 60 aeronaves operando em lavouras brasileiras

EXPECTATIVAS
As demissões de setembro geraram reação das autoridades de Albany, já que a empresa havia recebido em 2014 recursos do Fundo de Desenvolvimento da cidade para ajudar na criação de 100 novos empregos na época. A preocupação do governo local também está sendo ocupar a mão-de-obra, mesmo a empresa tendo sinalizado que ao menos boa parte dos postos poderiam ser restabelecidos com a recuperação da empresa.

A questão vem sendo acompanhado de perto pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico do Condado de Dougherty, do qual Albany é a capital. Paralelamente, a cada boa notícia postada nas redes sociais da Thrush, quase sempre há comentários de ex-empregados lembrando que esperam pela sua volta à empresa.

Presente em mais de 80 países com mais de 2,4 mil aeronaves (58 no Brasil, segundo levantamento em janeiro deste ano), aos aviões agrícolas da Thrush surgiram a partir do modelo S-2, idealizado pelo pioneiro Leland Snow, cujo projeto foi comprado em 1965, pela North American Rockwell.

Em 1970, a linha de produção da Rockwell foi transferida de Olney (Texas) para Albany (paralelamente, Snow saiu da empresa e fundou a Air Tractor, hoje sua principal concorrente). Sete anos depois, os direitos sobre o avião foram comprados pela Ayres Corporation, que por sua vez, em 2003, tornou-se Thrush Aircraft.