Imprensa

Iniciada em Canela a contagem regressiva para o Congresso Sindag 2017

/ /

Congresso Sindag vai ocorrer daqui a
19 semanas e evento da quarta-feira
marcou também a abertura das
inscrições para programação de agosto

Uma cerimônia no Hotel Continental, em Canela/RS, marcou, na tarde desta quarta-feira (dia 29), o lançamento oficial do Congresso Sindag Mercosul e Latino-Americano 2017, que vai ocorrer de 8 a 10 de agosto, no Aeroporto Municipal. O evento marcou ainda o início das inscrições para os participantes (clique AQUI para acessar), que devem vir de todo o Brasil, América Latina e Estados Unidos.

O Congresso é organizado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) e o lançamento ontem teve a presença do prefeito de Canela, Constantino Orsolin; do vice-presidente do Gramado Canela Convention & Visitors Bureau, Jaime Luiz de Oliveira; do secretário municipal de Turismo, Esporte e Lazer, Ângelo Sanchez; o CEO da Tri Taxi Aéreo, Tiago Esmeraldino, além do presidente do Sindag, Júlio Augusto Kämpf e do representante do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Giani Bozetto. Também marcaram presença o secretário municipal de Turismo, Esporte e Lazer, Ângelo Sanchez e outras autoridades.

PARCERIA

O prefeito Orsolin e o presidente Júlio Kämpf também assinaram o termo de parceria entre a prefeitura e o sindicato aeroagrícola para o Congresso. “Estamos muito satisfeitos com os parceiros que se empenharam para que esse evento viesse para Canela”, ressaltou o prefeito, referindo-se ao Convention & Visitor Bureau, à Tri e ao Aeroclube. “E o público que virá para esse evento vai se impressionar com o povo e as belezas de Canela”, completou.

Kämpf agradeceu a receptividade do município e adiantou que Canela pode se tornar uma das três paradas fixas do Congresso Sindag, daqui para frente. “Nós encerramos um ciclo onde o evento passava a cada ano por uma cidade diferente em todo o País e agora deveremos ter três cidades fixas no Brasil, revezando o Congresso a cada ano em uma das três principais regiões do mercado aeroagrícola: Sul, Centro-Oeste e Sudeste.” E, a cidade do Sul será a que sempre terá o encontro continental, já que a cada três anos o Congresso Sindag tem abrangência latino-americana (o encontro continental é revezado com Argentina e Uruguai).

70 ANOS

O Congresso Sindag é o segundo maior evento do setor aeroagrícola no mundo e a edição 2017 deverá ser a maior já feita no Brasil. A edição é comemorativa aos 70 anos da aviação agrícola brasileira e, além da abrangência nacional, programação de agosto será continental devido a dois fatores: a abrangência latino-americana, revezada a cada três anos com os congressos da Argentina e Uruguai, e a presença norte-americana, devido a um acordo firmado no ano passado entre o Sindag e a Associação Nacional de Aviação Agrícola dos Estados Unidos (NAAA, na sigla em inglês).

 ESTRUTURA E SERVIÇOS

O Congresso Sindag 2017 terá uma estrutura de 3,6 mil metros quadrados no Aeroporto Municipal de Canela. Além das palestras e debates sobre políticas, demandas e novas tecnologias e estratégias para o setor aeroagrícola continental, como sempre o público poderá conferir também a mostra de equipamentos e tecnologias, além de demonstrações de aeronaves. O evento é a principal vitrine do setor no Brasil, por isso atrai representantes de empresas fornecedoras de peças, motores e aeronaves inclusive do Canadá e Estados Unidos.

Este será o terceiro evento aeroagrícola realizado em Canela, depois de um jejum de 28 anos. Os outros dois (1ª e 2ª Fenaero) haviam sido promovidos pelas antigas Federação Nacional de Aviação Agrícola (Fenag) e Associação Sul Rio-grandense de Aplicadores Aéreos (Asupla), ambas precursoras do Sindag.

O último Congresso Sindag ocorreu em junho do ano passado, em Botucatu/SP e, mesmo sendo uma edição nacional, teve mais de 1,5 mil participantes de um público especializado – empresários e pilotas agrícolas, pesquisadores, autoridades da aviação e agricultura, produtores rurais, técnicos e outros profissionais, estudantes ou entusiastas ligados ao setor.

SOBRE O SETOR AEROAGRÍCOLA

O Brasil tem a segunda maior e uma das melhores aviações agrícolas do planeta. Ao todo, são mais de 2 mil aviões agrícolas no País (2.083, segundo a ANAC). Além de ser o único meio de pulverização com regulamentação própria, a aviação também faz o trabalho de semeadura e aplicação de fertilizantes, trato de florestas e combate a incêndios florestais. O setor também já foi usado no Brasil (e ainda é, em vários outros países) para o povoamento de rios e lagos com alevinos de peixes e em operações de combate a mosquitos.

A primeira operação aeroagrícola no Brasil ocorreu em 19 de agosto de 1947, em Pelotas/RS. Além de berço da aviação agrícola nacional, o Estado tem a segunda maior frota do setor, com 418 aeronaves (atrás apenas do mato Grosso) e o maior número de empresas aeroagrícolas, com 77 das 240 registradas no País. Isso além dos 48 operadores privados (produtores ou cooperativas agrícolas que possuem seus próprios aviões).

Veja mais na versão eletrônica de nosso informativo eletrônico, clicando AQUI