Notícias

Anac promove debate sobre alterações nos programas de instrução

Instrução Suplementar deve ser publicada em abril e não deve impactar diretamente na aviação agrícola, embora Anac sugira que escolas apostem em diferenciais de mercado 

As alterações nos programas de instrução para escolas de aviação foram o tema do workshop promovido na quarta e quinta-feira (dias 19 e 20) pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em Brasília. O encontro ocorreu na sede da entidade debateu a Instrução Suplementar 141-007, que deverá atualizar os requisitos básicos na formação de mecânico aeronáutico, piloto planador, comissário de voo, piloto de balão, piloto de avião, piloto de helicóptero e piloto aerodesportivo. O sindicato aeroagrícola foi representado no encontro pelo assessor parlamentar Pietro Rubin.

A IS não deve impactar diretamente na formação de pilotos agrícolas – constantes nos Manuais de Curso da Anac (MCA 58-12 e MCA 58-17). Embora a Agência sugira que os cursos procurem ir além dos requisitos mínimos na formação específica, como forma de buscar diferencial de mercado.  A provocação por diferenciais frente ao mercado tem sido feita também pelo Sindag junto às escolas com cursos de piloto agrícola – que são seis em todo o País, duas do RS, uma no PR e três em SP (uma delas para helicópteros). O tema entrou na pauta das visitas que a entidade tem promovido às escolas, dentro dos roteiros do Sindag pelos Estados.

A nova Instrução da Anac deve ser publicada no dia 29 de abril. Entre as mudanças já alinhavadas estão a necessidade de maior número de horas de experiência específica para instrutores e a instalação de câmeras nas aeronaves para registro dos voos.

Sindag acompanhou do workshop sobre o tema, ocorrido na quarta e quinta-feira22