Imprensa

Argentina, Paraguai e Bolívia firmam aliança contra gafanhotos

/ /
  • Autoridades da Argentina, Paraguai e Bolívia assinaram esta semana um acordo para uma tríplice aliança entre os três países no combate a praga de gafanhotos. Segundo notícia no portal Agrovoz, do jornal argentino La Voz del Interior, o acordo na verdade torna oficial um plano que já vinha sendo executado há algumas semanas a partir do norte da Argentina e abrangendo a fronteira entre os três países.

    Desde o início do mês, autoridades federais e das províncias de Salta e Jujuy elaboraram um plano de combate a gafanhotos. O plano inclui estratégias de monitoramento e pulverizações aéreas contra os insetos. A ação acabou envolvendo também órgãos do Paraguai e Bolívia devido à área de fronteira. “É um trabalho que teremos que fazer entre todos, não é algo que se resolva de um dia para o outro, mas é importante estarmos todos juntos”, disse o ministro (nesse caso, equivalente a secretário no Brasil) do Meio Ambiente e Produção Sustentável de Salta, Javier Montero.

    Ele foi um dos que assinaram o acordo, junto com vice-presidente do Serviço Nacional de Saneamento e Qualidade Agroalimentar na Argentina (Senasa), Guillermo Rossi; o diretor técnico geral do Serviço Nacional de Saúde e Segurança Vegetal e Vegetal do Paraguai (Senave), César Rivas; diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde Agrícola e Segurança Alimentar da Bolívia (Senasag), Javier Suárez, e o ministro da Produção de Jujuy, Juan Carlos Abud.

    PRAGA REGIONAL

    O gafanhoto é uma praga que tem gerado um alto impacto socioeconômico principalmente no norte da Argentina. Isso devido principalmente à sua voracidade e velocidade: eles são capazes de viajar até 150 quilômetros por dia, enquanto as fêmeas colocam cerca de 840 ovos durante sua vida.

    Na Argentina, Nuvens de gafanhotos têm atacado há meses agricultores na Argentina e o problema já ocorreu nas províncias de Chaco, Santiago del Estero e Tucumã. No dia 30 de setembro, uma nuvem de insetos com cinco quilômetros de comprimento atacou plantações em São José de Metán, ao sul da capital de Salta.

    Em fevereiro, a Bolívia chegou a pedir ajuda internacional para combater uma praga de gafanhotos que desde o final de janeiro já havia dizimado 1,2 mil hectares de lavouras na região de Santa Cruz, a maior produtora de alimentos do país. A Argentina enviou cinco técnicos do Serviço Nacional de Sanidade (Senasa) e do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) ao país vizinho, para apoiar as ações contra os insetos.