Imprensa

Associação dos Engenheiros Agrônomos repudia projeto contra aviação em TO

/ /

A Associação dos Engenheiros Agrônomos do Tocantins (AEATO) divulgou nessa segunda-feira (9) uma nota de repúdio ao projeto de lei 296/2019, do deputado estadual José Roberto Ribeiro Forzani, o Zé Roberto Lula (PT), que pretende proibi a pulverização aérea de defensivos no Estado. O documento da entidade ressalta vocação agropecuária de Tocantins e o fato de que a tecnologia de aplicação de produtos fitossanitários leva em conta a praga a ser combatida, ferramenta, ambiente e vários outros fatores, dentro de uma ciência moderna segura e eficiente.

A nota, assinada pelo presidente Cid Tacaoca Muraishi, destaca ainda que “a AETO entende que o que deveria ser proposto pela câmara legislativa e discutido com todo o seguimento é a regulamentação e fiscalização coerente dessa prática, e não a proibição arbitrária e sem fundamento como foi instituído no projeto.”

Veja AQUI a íntegra da nota

A proposta de Zé Robert Lula tramita desde agosto e sua justificativa foca foca quase exclusivamente em danos atribuídos aos agrotóxicos “(…) destaca-se a contaminação de trabalhadores rurais e da população por agrotóxicos, contaminação de alimentos, das águas que abastecem populações urbanas, do solo e até, em casos extremos, do leite materno.”

E sem a relação de causa/consequência com a aviação, já que, diferente das ferramentas terrestres, não há trabalhadores na lavoura nas aplicações aéreas, os próprios relatórios da Anvisa isentam de contaminação os alimentos de lavouras atendidas pela aviação (caso do arroz, milho e banana) e as águas, solo e o leite materno não sobrem influência da aviação, que utiliza até 10 vezes menos calda em suas aplicações.

Veja mais em Fatos & Mitos sobre a aviação agrícola, clicando AQUI