Imprensa

Aviação agrícola é destaque em série contra mitos na agricultura no jornal Zero Hora

/ /

   A aviação agrícola é destaque na edição desta segunda-feira (dia 1º) do jornal Zero Hora, de Porto Alegre/RS. Trata-se da série Agricultura Sem Mitos, publicada desde abril pela Syngenta para mostrar a importância da agricultura para as pessoas e eliminar mitos gerados (ou alimentados) pela falta de informação da sociedade.

Veja AQUI

   Na edição atual o foco foi esclarecer que o trato de lavouras, quando com boas práticas, não prejudica as abelhas. A matéria abordou dados da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a importância dos polinizadores e os estudos da Associação Brasileira de Estudos das Abelhas (A.B.E.L.H.A.) e do Projeto Colmeia Viva, sobre outros fatores que contribuem para a morte de abelhas (inclusive no manejo dos próprios apicultores) e os passos para convivência produtiva entre os criadores de insetos e os agricultores.

AERONAVES

  Por parte do Sindag, o diretor-executivo Gabriel Colle reforça a importância da aviação agrícola justamente para a segurança dos ecossistemas e das pessoas. E ressalta que é imprescindível a boa comunicação entre operadores aeroagrícolas, produtores rurais e apicultores.

  Colle enfatizou o trabalho de aprimoramento das boas práticas promovido pelo Sindag e suas associadas e destacou também o papel do programa Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS), apoiado pela entidade. O diretor também lembrou que, ironicamente, o setor aeroagrícola costuma ser o mais atacado no cenário de mitos – relacionando o avião ao colapso de colmeias, enquanto a ferramenta aérea é justamente a mais segura. 

SÉRIE

  A série Agricultura Sem Mitos tem pelo menos uma publicação a cada mês. O projeto já abordou temas desde o papel da Syngenta no combate à malária até os prejuízos e os riscos do uso de defensivos ilegais. O projeto também busca esclarecer temas polêmicos na sociedade, como por que o Brasil pode usar produtos não registrados na Europa e o que realmente significa (e por que é importante) a discussão em torno da regulamentação de agrotóxicos no País. Sem falar no estudo que prova que o Brasil não é o maior consumidor de agroquímicos no mundo – é que não é verdade que cada brasileiro consome cinco litros de agrotóxico por ano.

Clique AQUI para conferir a série completa