Imprensa

Aviação agrícola em ação intensa contra incêndios em São Paulo

/ /

A atuação da aviação agrícola em uma operação de combate a incêndio florestal ontem em, Ribeirão Preto/SP, protegeu das chamas os moradores de dois condomínios próximos do local. Um pela manhã e o outro à tarde. A ação acabou repercutindo na imprensa estadual e, na verdade, é uma amostra de operações que tem se repetido quase que diariamente no Estado. Segundo o empresário Thiago Magalhães Silva, da empresa Tangará Aeroagrícola, de Orlândia/SP, que participou das operações de ontem, “foram necessários 21 lançamentos de água para eliminar as chamas – cada lançamento com cerca de 1,9 mil litros).”

“Os dois focos ocorreram na mesma mata. Primeiro de um lado e à tarde de outro da área”, comentou Thiago, lembrando que, além da seca, a terça-feira tinha bastante vento. A Tangará atuou ontem dando suporte à empresa Imagem Aviação Agrícola, que está encarregada pelo Estado desse tipo de operação nas regiões de São José do Rio Preto, Ribeirão e Araçatuba.

OPERAÇÕES QUASE DIÁRIAS

Conforme o sócio-gerente da Imagem, Jorge Humberto Morato de Toledo, em toda a sua área de atuação, desde agosto ocorre praticamente uma operação aérea de combate a incêndio por dia. “A operação desta terça repercutiu na imprensa porque foi ao lado de um condomínio, mas na verdade esses voos estão sendo frequentes”.

A empresa aeroagrícola é acionada pelo Estado e atua sempre em apoio aos bombeiros, conforme um convênio que envolve também a Defesa Civil do Estado. O chamado ocorre sempre que um incêndio atinge alguma área de preservação ambiental, reserva pública ou quando as chamas colocam em risco a população.

O Corpo de Bombeiros de São Paulo e a Defesa Civil do Estado realizaram, no final de julho, uma série de treinamentos de combate a incêndios com aeronaves agrícolas. Os encontros ocorreram em São José do Rio Preto, Fernandópolis e Catanduva. O objetivo é afinar o entrosamento entre os pilotos e técnicos da Imagem com as equipes locais de bombeiros, para os casos de acionamento.

PRERROGATIVA

A empresa, com sede em Monções, tem três aeronaves Air Tractor AT-502 de sobreaviso (cada uma com capacidade para cerca de 2 mil litros de água ou retardante). E, quando necessário, conta ainda com suporte de empresas parceiras.  No mundo, desde 1931 aviões são usados em operações e combate a incêndios em campos e florestas. No Brasil, há quase 50 anos esse tipo de operação é oficialmente uma das prerrogativas da aviação agrícola (conforme o Decreto-Lei nº 917, de 7 de outubro de 1969).

E diversas vezes o setor tem tido papel fundamental na proteção das principais áreas de preservação do País, desde a Reserva do Taim, no Rio Grande do Sul, até o Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, em Minas Gerais, passando por áreas em vários outros Estados. A experiência paulista foi ainda tema de uma das palestras (veja AQUI) no Congresso Sindag Mercosul e Latino-Americano, ocorrido mês passado, em Canela/RS.

Clique AQUI para ver a reportagem da EPTV sobre o incêndio em Ribeirão Preto