Imprensa

Bolívia pede ajuda à Argentina e à FAO e inicia operações aéreas contra gafanhotos

/ /

A Bolívia está pedindo ajuda internacional para combater uma praga de gafanhotos que desde o final de janeiro já dizimou 1,2 mil hectares de lavouras na região de Santa Cruz, a maior produtora de alimentos do país. Ontem (dia 13) o embaixador argentino Normando Álvarez anunciou que nos próximos dias cinco técnicos do Serviço Nacional de Sanidade (Senasa) e do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) da Argentina devem chegar à Bolívia.

A ajuda foi pedida pelo presidente Evo Morales a seu colega argentino, Maurício Macri, tendo em vista que o país vizinho tem tradição nesse tipo de operação desde os anos 1920 – além de ter enfrentado no ano passado o maior ataque de gafanhotos dos últimos 50 anos. Apesar de ser uma praga comum na África e Ásia e de incidir também em outros pontos da América Latina, havia 25 anos que não se registrava ataques de gafanhotos na Bolívia.

Ainda ontem, o ministro do Desenvolvimento Rural boliviano, César Cocarico, ressaltou que Morales deve solicitar apoio também da Agência da ONU para Alimentação e Agricultura (FAO), em um encontro que deve ocorrer nos próximos dias, em Roma, na Itália.

PULVERIZAÇÕES AÉREAS

O governo boliviano decretou emergência fitossanitária e na última sexta iniciou operações aeroagrícolas na região atingida, onde a estratégia é realizar pulverizações em três etapas, circundando as áreas atacadas de fora para dentro. Primeiro estão sendo pulverizados 17 mil hectares em um anel externo. Na próxima semana as pulverizações devem cobrir 11 mil hectares no anel intermediário e, na última semana deste mês, outros 5 mil hectares no perímetro central.

O ministro Cocarico lembrou que é impossível simplesmente dizimar os gafanhotos. “Vamos ter que aprender a conviver com essa praga, estabelecendo uma estratégia monitoramento que permita intervir imediatamente quando necessário”, comentou.

Situação em que a aviação agrícola se torna primordial, tanto que desde 2013 a ferramenta integra a estratégia da ONU para combate a gafanhotos no continente africano. Além disso, o inseto é a praga que mais demanda esforços internacionais em operações aeroagrícolas (já que muitas vezes se desloca rápido entre fronteiras. E uma curiosidade: foi também o motivo do surgimento da aviação agrícola na antiga União Soviética (1925), Argentina (1926), Brasil (1947), Índia (1944) e outros países.

Clique AQUI para ver a matéria do telejornal NTN 24

…e nas fotos abaixo para ver a notícia no portal da BBC: