Imprensa

Comissão de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos do MS, que inclui o Sindag, promoverá seminário sobre abelhas

/ /

A discussão de ações para boa convivência entre agricultura e polinizadores estará entre os enfoques de um seminário que deve ocorrer ainda este ano no Mato Grosso do Sul. O evento será promovido pelo Sindag, juntamente com os Ministérios Públicos Federal e do Trabalho (MPF e MPT), a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), a Câmara de Agronomia do CREA/MS, além do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS), Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro). A ideia foi aprovada ontem (dia 18), durante a reunião mensal da Comissão de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos do Estado – da qual o sindicato aeroagrícola faz parte desde abril.

A proposta da Comissão, que abrange 12 entidades, é promover um debate sobre causas da mortandade de abelhas no Estado, contando com a participação de especialistas e apresentando experiências prevenir o problema. Um dos caminhos apresentados deverá ser melhorar a comunicação entre produtores rurais e apicultores, a exemplo de iniciativas como o projeto Colmeia Viva, do Sindiveg, e as ações da Fundecitrus, em São Paulo.

As entidades que encabeçam a organização do encontro devem se reunir no próximo dia 31, para alinhavar a programação. O objetivo é lançar o seminário na próxima reunião da Comissão de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, marcada para 14 de novembro.

O Sindag é representado na Comissão pelo secretário-executivo Júnior Oliveira.