Imprensa

Diplomatas brasileiros vão a campo para aprender sobre o setor primário do País

/ /

Vinte e oito diplomatas brasileiros estão fazendo esta semana visitas em propriedades rurais para conhecerem melhor as demandas e potenciais do setor primário do País. A ação faz parte da segunda edição do programa Diplomatas no Campo, promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o Instituto Rio Branco (encarregado da formação dos diplomatas brasileiros).
A ideia é que os futuros embaixadores ou agentes da Diplomacia do País tenham uma visão mais abrangente sobre as diversas faces do setor, inclusive a partir da ótica da iniciativa privada.
É importante que os diplomatas tenham a visão do setor produtivo no campo, não só através de palestras (que abriram a programação). Que visitem fazendas, fábricas, todas as etapas do setor agropecuário, desde a plantação de grãos, passando pela criação de animais e pela exportação”, comentou o embaixador e diretor-geral do Instituto Rio Branco, José Estanislau, em entrevista ao programa O Produtor Quer Saber, da CNA.
Segundo Estanislau, conhecimentos que serão fundamentais nas negociações internacionais.
O programa começou na última segunda-feira e a abertura ficou a cargo da superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra (foto). Em seguida, vieram as palestras sobre assuntos econômicos, mudanças climáticas, questões fundiárias e sistema agroindustrial, que foram conduzidas pelos representantes da CNA Renato Conchon, Nelson Ananias, Maciel Silva, Rodrigo Justos e Ciro Siqueira. Os diplomatas também conheceram o papel do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) na promoção da educação no campo.

Foto: Tony Oliveira/SNA

Clique AQUI para ver a entrevista em vídeo do embaixador José Estanislau