Colunas

DRONES O RISCO PARA AVIAÇÃO

Caros Srs. comandantes , venho abordar um assunto que , esta demandando muita discussão , dúvidas , devido a larga expansão desta nova “aviação”
Muitas pessoas , operadores , estão operando , indiscriminadamente tais “aeronaves” . Emprego este termo pois , segundo o DECEA , que regulamenta todos Transitos de aeronaves no espaço  aéreo do Brasil,já o esta classificando como tal  . Uma área que esta em grande expansão , são nas empresas de energia, vindo a empregando-los em : Linhas de Transmissões , Subestações , Usinas  e até mesmo em circuitos (postes ) de rua .Como temos algumas destas instalações em meio as matas , por ser de dificil acesso , mais justificam o emprego destas aeronaves. Após privatizações e leilões pela ANEEL ( Agencia Nacional de Energia Elétrica) hoje , em cada Estado podemos ter várias empresas de Energia , daí , uma maior possibilidade de “drones” e seus operadores.
Consequências Recentes de Operações de Drones
A imagem pode conter: avião

Como uma de nossas especialidades é “Inspeção Aérea de Linhas de Transmissões” , participamos em muito das evoluções e empregos deste novo tipo de “Aviação”junta as Empresas de Energia. Empregávamos Asas Rotativas , cujas quais somos especialistas ,inclusive , tenho Carteira de “Piloto Comercial de Helicóptero” , com experiência com mais de 30 anos nesta área, Com o avanço do uso destes , estamos nos adaptando a esta nova “aeronave”, tentando trazer para estes novos operadores , toda nossa larga bagagem , em Linhas de Transmissões, visto que , esta operação é uma das mais arriscadas, diante das várias condições adversas , que são Linhas de Transmissões , com tensões entre 88 a 750.000 volts .
Vimos trazer consequências em que , já se mostram , os sinais e repercussões para nós da aviação .
Interdições recentes em Aeroportos devido a presença de Drones ,nas áreas de pouso e decolagem, de grande movimentação aérea como :
– Congonhas , São Paulo , voos nacionais
– Cofins , Contagem,voos internacionais
– Goiânia
– POA – Porto Alegre
Alguns paízes , devido a enorme interferência na Aviação , chegaram a “abolir drones “.
Abaixo , um extensa entrevista , muito oportuna e esclarecedora , com o Cel Vargas do DECEA , promovida por um canal de Drones:
https://www.youtube.com/watch?v=HWqdfGTwYq8&t=3683s

Áreas Rurais – Aviação Agrícola

Por falta de conhecimento de regras aeronáuticas , muitos destes operadores , em áreas rurais , se basearem no argumento em que , “não exista interferências”, como Aviação agrícola .Portanto , “alertamos ” , a todo pessoal de Aviação Agrícola , mais cautela e atenção junto a : Linhas de Transmissões , Subestações , Terminais , Usinas .

Outras Aplicações de Drones
– 
Em Aerofotogrametria , geoprocessamento
– Análises de pragas em Plantações
– Levantamentos de Áreas
– Refinarias , Cilos
VANTS
Temos ainda estas aeronaves , que seria uma “Aeronave não Tripulada” . Estas costumam tomar atidudes de vôo , muito próxima de Aeronaves comuns , chegando a voar em altitudes de 1000 pés ou mais . Estas , provavelmente , em breve , seus operadores terão que possuir ” Carteiras de Piloto ” tendo que dominar , como todos nós pilotos :
– Navegação Aérea
– Regulamentações da Aviação
– Meteorologia  completa
– Formações
– Notificações e Planos de voo .
Regras e exigências Básicas para Drones( conforme DECEA)
Conforme peso do Drone , temos uma regulamentação, empregando a categoria mais dominante , isto é , acima de 250 gramas , temos :
– 
Ter registro no “Sisante” – ANAC
– Ter seguro contra terceiros
– Notificar o SARPAS – DECEA do seu vôo
– Manter 2 km de Aeródromos
– 600 m de helipontos
– 30 ms de altura ,de pessoas não autorizadas
– Voar abaixo dos 500 pés ( 120 m)
RECOMENDAMOS QUE TODOS ASSISTAM E DIVULGUEM NO MÁXIMO TODAS REGULAMENTAÇÕES
“JÁ ALGUM TEMPO , OS DRONES DEIXARAM DE SER UMA DIVERSÃO ,PASSATEMPO , HOJE , FAZEM PARTE , CADA VEZ MAIS , DA AVIAÇÃO “