Imprensa

Em encontro sem precedentes, setor aeroagrícola, órgãos de fiscalização e entidades do agronegócio traçam ação conjunta

/ /

O papel dos órgãos governamentais na fiscalização e apoio à aviação agrícola, a importância do setor para as principais lavouras do agronegócio brasileiro e o trabalho do Sindag para qualificação e reconhecimento do setor aeroagrícola pela sociedade. Mais do que isso, como juntar todas essas pontas em uma estratégia que garanta o desenvolvimento sustentável do setor aeroagrícola, ao mesmo tempo, eliminando os mitos que geram medo na sociedade. Esses foram os ingredientes do workshop promovido em Brasília pelo Sindag e que deve resultar, na próxima semana, em uma carta de intenções com as principais estratégias de aproximação e comunicação entre os participantes.

Sem precedentes no País, o workshop fez parte da comemoração dos 70 anos da aviação agrícola no Brasil e ocorreu na quarta-feira (28) no salão e eventos do Mercure Brasília Líder Hotel. A promoção foi do Sindag, com patrocínio do Sindiveg e da Syngenta. Durante todo o dia, a plenária assistiu as apresentações do Ibama, Anac, Ministérios da Saúde e da Agricultura – abordando desde legislação até ações de fiscalização e dados e a percepção de cada órgão sobre a aviação.

Destaque também para palestras da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), União da Indústria de Cana-de-Açúcar Única) e Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) e Instituto Riograndense do Arroz (Irga) – sobre a importância de cada cultura para o País e o papel da aviação em seu desenvolvimento. Por parte do Sindag e parceiras as palestras abordaram as ações de boas práticas promovidas pelo setor, tecnologias, desafios e estratégias para os próximos anos.

EDUCAÇÃO E INFORMAÇÃO

No final, os participantes integraram uma rodada de propostas, em quatro grupos que discutiram ações para melhorar o entrosamento entre os setores, entidades e órgãos.  A conclusão, na rodada de propostas, foi de que a aproximação entre todos os entes deve ser reforçada, focando também na comunicação com a sociedade.

“Precisamos trabalhar na educação e na transferência de informações entre as instituições e com a sociedade. Assim, vamos melhorar o controle das atividades e facilitar a adoção de novas tecnologias, ao mesmo tempo em que tranquilizamos a sociedade sobre a segurança e seriedade do trabalho na aviação agrícola”, destaca o presidente do Sindag, Júlio Kämpf.