Imprensa

Empresa aeroagrícola argentina com radar antiaéreo em sua base

/ /

     A cena inusitada ocorre a cerca de 250 quilômetros ao norte de Buenos Aires. A empresa Agro Aéreo Gualeguay, homônima da cidade onde está situada, é, até o dia 2 de dezembro, a base de um dos sistemas de radares que estão formando um escudo no espaço aéreo em 460 quilômetros em torno da capital argentina, onde ocorre a reunião de Cúpula do G-20. A empresa cedeu um dos hangares para acomodar parte dos equipamentos e o contingente de 45 militares que operam o sistema.

     Durante a Cúpula, qualquer aeronave que ingressar no espaço aéreo restrito sem um plano de voo e permissão especial para a rota corre o risco de ser abatida. Principalmente entre as 15 horas da próxima quinta-feira (29) até as 22 horas de sábado (dia 1º) quando os militares estarão em alerta máximo contra qualquer aeronave que possa ser considerada hostil.

PROGRAMAÇÃO

    A programação do encontro do G-20 começou nessa segunda (26), com as reuniões preparatórias entre as autoridades da área de finanças dos países participantes, além de assessores das áreas de anticorrupção, Educação, Emprego, Sustentabilidade, Clima, Energia e outros temas. Na sexta (30) começa a Cúpula dos Líderes, que vai até o final da tarde do sábado. O G20 é composto por 19 países e pela União Europeia.

     Os 19 países são Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coréia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Rússia, Reino Unido, África do Sul e Turquia. A Espanha é um convidado permanente das reuniões do G20 e todo ano o país anfitrião também escolhe outros convidados: a Argentina convidou o Chile e a Holanda.

     O encontro deverá ter a presença do presidente dos EUA, Donald Trump, o que significa a presença também aviões e militares norte-americanos no país, além de um porta-aviões na costa.

Escudo aéreo deve cobrir 460 quilômetros em torno da capital argentina