Imprensa

Entre ações, discussões e homenagens, Congresso Sindag reuniu 2 mil pessoas

/ /

O próximo Congresso Mercosul de Aviação Agrícola será em Rosário, Argentina, de 15 a 17 de junho do ano que vem. Já o local e data do Congresso Sindag 2018 ainda deve ser definido pela diretoria do sindicato aeroagrícola brasileiro. Enquanto isso, operadores, pilotos e técnicos da aviação agrícola, além de pesquisadores, autoridades, fornecedores e entusiastas de todo o continente tiveram na última semana o maior evento do setor no Hemisfério Sul. O Congresso Sindag Mercosul e Latino-Americano de Aviação Agrícola abrangeu as discussões do País e do continente em um único evento, que reuniu cerca de 2 mil pessoas em Canela, na Serra Gaúcha.

O evento promovido pelo Sindag teve mais de 30 palestras e reuniões, abordando desse as pesquisas científicas da parceria do Sindag com a Embrapa, até operações de combate a incêndios com aviões, qualidade ambiental, novos equipamentos e outros temas. O Congresso contou com 71 expositores em sua mostra de equipamentos, tecnologias e aeronaves e teve participantes de 11 países –  Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Colômbia, Estados Unidos, Canadá, México, Irlanda, Alemanha, Bolívia.

No cenário internacional, destaque para a mesa redonda sobre demandas e cenários no Brasil, Argentina, Uruguai, Estados Unidos e Canadá. Que teve como denominador comum, o debate internacional sublinhou a necessidade dos operadores em cada país se unirem às suas entidades representativas e discutirem mais de perto suas realidades locais. Isso paralelamente com a troca de informações entre os parceiros internacionais.

SEGURANÇA ALIMENTAR

Em meio a uma programação que teve um primeiro dia voltado para debates internacionais, cenários e tecnologias; o segundo dia com foco na comunicação com o público e segurança operacional e o terceiro com destaque para mitos e verdades, segurança ambiental, história e processos legislativos, o Congresso Sindag trabalhou forte este ano a questão da Segurança Alimentar.

Aliás, esse foi o tema da campanha lançada pelo sindicato aeroagrícola brasileiro no evento. O foco da iniciativa é chamar a atenção da sociedade para a importância da aviação não só como ferramenta de produtividade, mas como garantia de sanidade dos alimentos. Como comprova a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que atestou índice zero de resíduos químicos em produtos cujas lavouras são atendidas pelo setor aeroagrícola. Por conta disso, os participantes do congresso (palestrantes e expositores) receberam o certificado de Embaixadores da Segurança Alimentar

SINDAG, FEARCA E ANEPA

No caso do Comitê Executivo Mercosul e Latino-Americano de Aviação Agrícola, as três entidades presentes: Sindag, Fearca e Anepa definiram o início de uma estratégia de comunicação comum para (ao menos inicialmente) Brasil, Argentina e Uruguai. O primeiro passo será o compartilhamento entre os vizinhos do e uma versão reeditada e em espanhol do vídeo elaborado pelo Sindag para as comemorações dos 70 anos da aviação agrícola brasileira – no caso, com dados e históricos de Argentina e Uruguai.

Isso porque a realidade do setor aeroagrícola nos três países esbarra em cenários semelhantes onde a falta de informações por parte da sociedade abre brechas para o preconceito e até o jogo político contra o setor. No caso argentino, tendo como pano de fundo um governo que, por não ter alcançado maioria no parlamento, necessitou de uma estratégia de coalizão deu espaço ao combate ao agronegócio por setores de esquerda.

Já no Uruguai, a situação é um pouco diferente, com o governo federal tendo saído de uma situação também com conceitos fundamentalistas contra a agricultura. Porém, com o país dividido em 19 províncias com total autonomia para legislar e onde algumas também são regidas pelo preconceito contra o setor. Além disso, essa será a primeira vez em que o Uruguai terá um vídeo institucional de sua aviação agrícola.

HOMENAGENS E EMOÇÕES

No quesito emoções, esse foi o tempero principal do jantar pelos 70 anos da aviação agrícola brasileira, na noite do último dia do Congresso Sindag. Ocupando boa parte do (amplo) espaço da Churrascaria Garfo e Bombacha, em Canela, operadores, pilotos, empresários e expositores participaram do encontro, que teve homenagens aos pioneiros do setor, além do reconhecimento internacional sobre a importância do mercado aeroagrícola brasileiro.

A lembrança dos pioneiros veio com a entrega de certificados de homenagem (in memoriam) ao piloto Clóvis Goularte Candiota (patrono do setor) e ao engenheiro agrônomo Leôncio de Andrade Fontelles. Os certificados foram entregues à filha de Candiota, Iris Helena Candiota, e ao filho de Fontelles, Antônio.

Em seguida, o presidente Júlio Kämpf fez a entrega das duas primeiras medalhas Clóvis Candiota, dirigidas aos engenheiros agrônomos Eduardo Cordeiro de Araújo e José Carlos Christofoletti, por tudo o que esses dois personagens representaram e ainda representam para o setor. A medalha é a distinção máxima do setor aeroagrícola brasileiro.

O reconhecimento internacional veio por parte da empresa Pratt & Whitney Canada, que entregou ao Sindag uma placa comemorativa aos 70 anos da aviação agrícola, ressaltando a importância  do sindicato aeroagrícola na promoção do setor no País.

Clique AQUI para ver as imagens gerais do Congresso

… e AQUI para conferir as imagens do jantar pelos 70 anos da aviação agrícola