Imprensa

Eventos em Brasília marcam os 70 anos da aviação agrícola brasileira

/ /

O Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) participa nesta terça-feira (dia 27) do almoço semanal da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), em Brasília. O convite faz parte das comemorações dos 70 anos da aviação agrícola brasileira, que terá na quarta-feira (28), também na capital federal, um workshop sobre os desafios e importância do setor, além de um jantar pelo aniversário.

Na FPA, o presidente do Sindag, Júlio Kämpf, apresentará um vídeo sobre a trajetória do setor aeroagrícola, além de falar sobre o papel da aviação agrícola no desenvolvimento do agronegócio e a segurança do setor. A Frente da Agropecuária abrange 222 deputados e 24 senadores e tem sua sede no Lago Sul. A aproximação do sindicato aeroagrícola com a entidade foi viabilizada pelo deputado federal Valdir Colatto (PMDB/SC) e oficializada com seu presidente, o deputado Nilson Leitão (PSDB/MT).

WORKSHOP

Já o workshop da quarta-feira vai ocorrer a partir das 8h30, no Mercure Brasília Líder Hotel, na Asa Norte. O evento é dirigido a autoridades, políticos e técnicos do setor e vai ocorrer durante o dia todo (até as 18h30). A programação terá palestras e debates sobre boas práticas nas operações aeroagrícolas e a relação do setor com a saúde, meio ambiente e agricultura. O fechamento será com uma discussão em grupo sobre melhorias da atividade.

O público é o mesmo do jantar pelos 70 anos da aviação agrícola, que vai reunir também parceiros do setor, a partir das 20h30 na churrascaria Fogo de Chão, no Setor Hoteleiro Sul. Tanto o workshop quanto o jantar têm patrocínio da Syngenta e do Sindicato Nacional da Indústria para Defesa Vegetal (Sindiveg).

A aviação agrícola brasileira completa aniversário em agosto, mas a comemoração na capital foi antecipada porque aquele mês a festa será em Canela/RS, dentro do Congresso Sindag Mercosul e Latino-Americano de Aviação Agrícola. O encontro na serra Gaúcha vai reunir representantes de entidades aeroagrícolas de todo o continente (inclusive dos Estados Unidos) e promete ser o maior já realizado no país – detalhe: o encontro brasileiro é o segundo maior do mundo no setor.

HISTÓRIA

A aviação agrícola existe no mundo desde 1921. No Brasil a primeira operação ocorreu em Pelotas/RS, no dia 19 de agosto de 1947, para combater uma praga de gafanhotos que dizimava as lavouras no município e arredores. Já em 1948, a ferramenta era usada contra a broca do café, em São Paulo, onde a paulista Ada Rogato se tornou a primeira mulher no mundo a pilotar em uma operação aeroagrícola.

Hoje, o Brasil tem a segunda maior e uma das melhores frotas aeroagrícolas do planeta, com pouco mais de 2 mil aeronaves (atrás apenas dos Estados Unidos). Além do trato de lavouras (aplicação de defensivos, semeadura e aplicação de fertilizantes), esse tipo de aviação realiza também o combate a incêndios florestais em áreas particulares e reserva ecológicas, trato de florestas, povoamento de peixes em lagos e rios, combate a manchas de óleo no mar e o combate a mosquitos.