Imprensa

Fearca disponibiliza protocolos para operações aéreas contra mosquitos na Argentina

/ /

A Federação Argentina de Câmaras Agroaéreas (Fearca) disponibilizou para autoridades sanitárias e outros interessados um protocolo próprio de operações para aplicações áreas contra mosquitos em áreas urbanas e periurbanas. A iniciativa foi anunciada nessa segunda-feira (23) e o estudo foi desenvolvido pela entidade em parceria com o Grupo APC (de consultoria, insumos e equipamentos). O protocolo abrange seleção de produtos, equipamentos de pulverização, calibração, tamanho de gota, volume, vento, temperatura, tempo de tratamento e outros dados.

A ideia é dar transparência ao documento justamente para deixar claro sua eficácia. Ao mesmo tempo em que a Fearca propõe parcerias público-privadas para o combate os insetos transmissores da dengue, chikungunya e zika. Na última semana, a Federação Argentina já havia divulgado um artigo ressaltando a capacidade dos aviões agrícolas na ajuda para erradicar as doenças. A ideia é um trabalho multidisciplinar onde, segundo a entidade, com apenas uma aeronave seria possível cobrir em um dia uma cidade do tamanho de Rosário (que fica na província de Santa Fé e tem 1,2 milhão de habitantes).

Protocolo argentino foi elaborado pela entidade aeroagrícola em parceria com uma empresa de consultoria

CASOS LÁ E AQUI

A Argentina registrava no início de março 1.136 casos de dengue em todo o país. No Brasil, segundo o Boletim Epidemiológico divulgado na última sexta-feira (20), desde 29 de dezembro até agora já são 390.684 casos, com 106 mortos. Fora outros 11.453 casos suspeitos de Chikungunya e mais 1.395 casos de zika existentes por aqui. Aliás, o assunto aviões x mosquitos ainda é tabu para as autoridades brasileira, apesar de ser uma das principais estratégias das autoridades sanitárias de países como Estados Unidos.

A ponto da técnica ter sido taxada de inconstitucional pela própria Procuradoria-Geral da União. O que levou o caso à suprema corte brasileira, onde o julgamento acabou sendo pró-aviação. Ironicamente, o resultado liberando estudos para utilização da técnica saiu no mesmo dia (11 de setembro) em que outro boletim do Ministério da Saúde revelava que, nos 12 meses anteriores, o Brasil colecionou uma taxa de 6 mil novos casos de dengue por dia.