Imprensa

Fearca promove reflexão sobre extremismos contra a aviação agrícola

/ /

   Voar em tempos de extremismos. É assim que pode ser traduzido o tema da palestra que a Federação Câmaras Agro Aéreas Argentinas (Fearca) está promovendo para o dia 4 de outubro, em Rosário, na província de Santa Fé. A cargo do professor de filosofia e conferencista Santiago Kovadloff, o encontro é dirigido a operadores aeroagrícolas, “homens e mulheres de convicção e trabalho responsável”, segundo a própria entidade.

   Com o título original “Volar em tiempos de grieta”, o foco é uma discussão sobre a atividade aeroagrícola em um cenário de extremismos na sociedade, com abordagens (e mesmo ataques) irracionais a setores essenciais ao país – como a aviação agrícola. A palestra vai ocorrer a partir das 15 horas, no Hotel Riviera e as inscrições custam 4 mil pesos argentinos (cerca de R$ 430). As vagas são limitadas.

O PALESTRANTE

   Kovadloff é ensaísta, poeta, tradutor de literatura de Língua Portuguesa e autor de histórias infantis. Formou-se em Filosofia na Universidade de Buenos Aires, é colaborador permanente do jornal La Nación e tem obras traduzidas para o hebraico, português, alemão, italiano e francês. Desde 1992 o filósofo é membro correspondente da Real Academia Espanhola e, desde 1998, integra a Academia Argentina de Letra. Também é membro da Academia Nacional de Ciências Morais e Políticas e integrou o Tribunal de Ética da Comunidade Judaica da República Argentina, entre outras atividades.

O TERMO

   “Grieta” quer dizer, literalmente, racha ou rachadura – embora em português também exista a palavra “greta”, com o mesmo significado. No caso de nosso país vizinho, refere-se a um extremismo que começa na política e se reflete de maneira contundente na sociedade argentina. 

   O termo que começou a ser usado nos anos 70, para definir a era da ditadura. Mas se tornou popular a partir de 2003, em referência aos embates entre os blocos de situação e oposição do governo do país. De uma maneira simplista sobre a conjuntura atual, de um lado os partidários dos ex-presidentes Néstor e Cristina Kirschner e, de outro, os aliados do atual presidente Mauricio Macri.