Imprensa

Havaí estuda aplicação aérea contra ratos pra preservar santuário ecológico

/ /

O uso de aeronaves para o combate a ratos está sendo avaliado pelo governo do Havaí, em conjunto com a comunidade da Ilha de Lehua, no extremo oeste do arquipélago norte-americano no Pacífico. A ilha é na verdade um cone vulcânico desabitado, mas é o santuário de pelo menos 17 espécies de aves marinhas, cujos ninhos são atacados pelos roedores.

A proposta é erradicar os ratos invasores com o uso do rodenticida diphacinona em iscas a serem lançadas de helicóptero. O plano foi debatido em três encontros com a comunidade e entidades da sociedade civil nas outras ilhas do arquipélago e a ideia era ter feito a primeira de três aplicações no último dia 8 de agosto. No entanto, a iniciativa ainda depende da licença por parte do Departamento de Agricultura do Havaí (HDOA), que ainda aguarda novas informações sobre o plano.

Segundo especialistas, a aplicação aérea a única maneira de eliminar completamente os ratos da ilha, já que o terreno local é muito perigoso para aplicações manuais e muito complicado para estações de isca. A técnica já é usada há anos na Nova Zelândia, onde o governo local combate ratos e gambás para a preservação de aves como o kiwi (que é símbolo do país), kaka, kea e outras espécies, além de plantas importantes para a sobrevivências desses animais.

No caso da ilha havaiana, ratos polinésios foram introduzidos em Lehua ainda nos anos 30, provavelmente oriundos de embarcações. Os roedores também atacam plantas e insetos nativos e o controle de sua população é uma preocupação constante do Departamento de Terra e Recursos Naturais do Havaí (HIDLNR).

Clique AQUI para ver a notícia publicada no site do jornal The Garden Island

Foto: Jeremy Cuff