Imprensa

Licenças para lavouras do arroz na Bacia do Gravataí devem demorar mais cinco dias

/ /

O SINDAG esteve presente nesta terça-feira (dia 22) no evento promovido pelo IRGA em Cachoeirinha para apresentar detalhes sobre a lavoura de arroz na Bacia do Rio Gravataí. A movimentação serviu para mostrar a qualidade, importância e as boas práticas adotada pela produção orizícola na região. A apresentação ficou a cargo do Instituto Rio-Grandense do Arroz (IRGA) e teve também a presença de representantes do Batalhão Ambiental da Brigada Militar e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental, que abordaram o caso de alteração na turbidez da água do Rio Gravataí ocorrido em 10 de outubro.

O sindicato aeroagrícola esteve representado no encontro pelo empresário Gelson Solon Fernandes, da empresa Fersol Aviação Agrícola, e pelo assessor jurídico Ricardo Volbrecht. O interesse do SINDAG foi principalmente em busca de novidades sobre as licenças operacionais para as operações aeroagrícolas na região, conforme acordo definido em julho junto com a FEPAM e o Ministério Público Estadual.

As licenças, que pela última informação junto ao órgão estadual deveriam ter sido liberadas até a última segunda-feira, agora devem demorar mais cinco dias. “A informação repassada no encontro foi de que os técnicos localizaram uma nova área de preservação junto à APA do Banhado Grande, que está sendo georreferenciada. Vamos ver se desta vez o processo anda”, comentou Fernandes.

arroz4 arroz3 arroz2 arroz1