Imprensa

Rol de empresas norte-americanas no Congresso Sindag tem nova participante

/ /

A 106 dias do Congresso Sindag Mercosul e Latino-Americano, a procura pelos espaços restantes na mostra de tecnologias e equipamentos tem atraído novos expositores inclusive de outros países. Caso da Turbine Conversions Ltd (TCL), de Nunica, Estado de Michigan, nos Estados Unidos, que na última semana telefonou ao escritório do Sindag em Porto Alegre para reservar seu estande em Canela.

Segundo Ann Hatfield Grahek, filha do fundador e presidente da empresa, William (Bill) Hatfield, seu pai já vinha há algum tempo acompanhando o crescimento do Congresso Sindag. Nos EUA, a empresa já era participante assídua da Convenção Anual da Associação Nacional de Aviação Agrícola do país – NAAA, na sigla em inglês (foto).

O empurrão que faltava para vir a Canela foi a visita à TCL de um representante da Pratt & Whitney. A fabricante canadense de motores aeronáuticos é parceira da empresa dos Hartfield e, em uma conversa sobre o evento brasileiro, ficou claro a expectativa de que o evento deste ano deve bater recordes.

Some-se a isso o fato da presença de operadores, pilotos e parceiros de todo o continente – a TCL já tem clientes na América Latina. “Estamos muito animados em participar”, comentou Ann, logo após concluir a reserva do estande. Por parte do Sindag, a vinda da nova empresa estrangeira é uma mostra da importância do evento como vitrine para o mercado latino-americano. “Também estamos muito felizes com a presença da Turbine Conversions entre nós”, ressaltou o presidente do sindicato aeroagrícola, Júlio Kämpf.

A TCL trabalha com conversão de aviões a motores convencionais para o motores turbo, além de oferecer manutenção ao sistema. A firma também conta com uma linha de equipamentos para sistemas para pulverização e aplicação de sólidos, para combate a incêndios e outros.

ESTRUTURA E SERVIÇOS

O Congresso Sindag 2017 vai ocorrer de 8 a 10 de agosto e terá uma estrutura de 3,6 mil metros quadrados no Aeroporto Municipal de Canela. Além das palestras e debates sobre políticas, demandas e novas tecnologias e estratégias para o setor aeroagrícola continental, como sempre o público poderá conferir também a mostra de equipamentos e tecnologias, além de demonstrações de aeronaves. O evento é a principal vitrine do setor no Brasil, por isso atrai representantes de empresas fornecedoras de peças, motores e aeronaves inclusive do Canadá e Estados Unidos.

Este será o terceiro evento aeroagrícola realizado em Canela, depois de um jejum de 28 anos. Os outros dois (1ª e 2ª Fenaero) haviam sido promovidos pelas antigas Federação Nacional de Aviação Agrícola (Fenag) e Associação Sul Rio-grandense de Aplicadores Aéreos (Asupla), ambas precursoras do Sindag.

O último Congresso Sindag ocorreu em junho do ano passado, em Botucatu/SP e, mesmo sendo uma edição nacional, teve mais de 1,5 mil participantes de um público especializado – empresários e pilotas agrícolas, pesquisadores, autoridades da aviação e agricultura, produtores rurais, técnicos e outros profissionais, estudantes ou entusiastas ligados ao setor.

70 ANOS

O evento em Canela será também comemorativo aos 70 anos da aviação agrícola brasileira. Além da abrangência nacional, programação de agosto será continental devido a dois fatores: a abrangência latino-americana, revezada a cada três anos com os congressos da Argentina e Uruguai, e a presença norte-americana, devido a um acordo firmado no ano passado entre o Sindag e a Associação Nacional de Aviação Agrícola dos Estados Unidos (NAAA, na sigla em inglês).