Colunas

Inspeção Aérea de Linhas de Transmissões no Brasil 

A inspeção aérea é uma ferramenta altamente eficaz para diversas áreas de empresas de Energia.
Conforme a experiência do Inspetor, os resultados e relatórios da mesma, pode dar suporte para programações preventivas, urgentes e até emergenciais.
Sendo complementada por Instrumentos como Termovisor, Câmara Corona, é capaz de oferecer um perfeito “Mapeamento” do Estado Geral de todas Instalações, no caso, Linhas de Transmissões. Na inspeção aérea são detectados, desde, isolação avariada, até em casos emergenciais (avariadas) árvores para corte e poda, objetos estranhos, oxidação em isolações, diversas ferragens de cabos, para-raio, torres, invasões, erosões, estado de acessos, oxidação de cabos para-raio. Pode ainda detectar riscos para torres, para terrenos, possíveis desmoronamentos tanto para a torre como para vizinhança, faixa de segurança (área da Linha) invasões diversas como favelas, lixões e aterros.
Para metrópoles como a incidências de obras diversas em ruas, avenidas, córregos, rodovias, rios, construções de galpões, prédios, é de alta preocupação, não sendo raro acidentes com estas obras, com operadores de máquinas, construções vizinhas, sacadas, limpeza de piscinas, andaimes .
Atualmente o País divide as Linhas de Transmissões em 2 classes, sendo: Linhas de Transmissões, nas classes de Tensões, acima  de 230 kV, onde temos também as tensões de 345, 440 kV, 500 kV. As Linhas de Transmissões sempre se originam de Gerações, estas tensões são em função da “Distância da Carga a Ser Alimentada “. No País, por conveniência de projetos de custos, quando a Carga da Linha esta acima de 700 kM, as Linha são Transmitidas em Corrente Contínua, geralmente nas Tensões de 600, 750 kV C.C. (corrente contínua).
A outra classe é classificada como “Linhas de Subtransmissões” com tensões até 138 kV, que transmite alimentações dentro de áreas menores, cidades e regiões.

O Caminho como a Energia é Transmitida
Toda Energia provém de uma Geração, podendo hoje ser: Hidroelétrica, Termoelétricas, Nucleares e Eólicas (em alta expansão). Destas gerações, são transmitidas por “Linhas de Transmissões” de 230 a 500 kV. Se a distância for maior de 700 kM ela sera em Corrente Contínua. Estas Alimentam Terminais de Transmissões, estes possuem “Bancos de Transformadores” que rebaixam as tensões para Serem Subtransmitidas nas Cidades ou regiões. Na Grande São Paulo temos cerca de 14 Terminais de Transmissões, alimentados por uma ou mais Linhas de Transmissões (acima de 230 kV), em média cada terminal alimentam 6 Linhas de Subtransmissão de até 138 kV. Cada Linha de Subtransmissão, na média, na grande São Paulo, alimentam 6 Subestações, nestas, a tensão é rebaixada para 13.8 kV, em média cada Subestação alimentam cerca de 8 a 12 circuitos de 13,8 kV (circuitos de rua, no poste, 3 fios/cabo na horizontal nos postes). Para energia chegar nas residências, temos outros transformadores (nos postes) que rebaixam a tensão para 110/220 para as residências, sua quantidade esta em função das cargas que vão sendo alimentadas no percurso do circuito de 13,8 kV .
Quais Aeronaves empregadas
Quando somos consultados, solicitamos todas interferências, cruzamentos, área urbana, rural, montanhosa, linhas em paralelo. Em função da maior ou menor nível de interferência, selecionamos a Aeronave, podendo ser desde um Robson 44 Heaven II, Bell Jet Ranger III ou um Esquilo B II, tudo em função das dificuldades operacionais. Como esta operação é efetuada na “curva do homem morto”, é uma operação dos mais altos riscos, para tanto, sempre selecionamos Taxis Aéreos, Pilotos de Grande Experiência . Exclusivamente, como a SMART possui Inspetor formado como “Piloto Comercial de Helicóptero”, em nossas operações sempre temos 2 pilotos analisando, constatando, planejando, sempre, todas condições que exigem mais da aeronave e pilotos. Com esta “exclusividade”, nos é facilitada: avaliação de Comandantes, assim como, com contratos mais longos, conseguir dar maturidade para Comandantes menos experientes.

Experiência
Além dos 20 anos na Grande São Paulo (uma das maiores cidades do mundo), com altíssimo risco para inspeção aérea, em meio as prédios, caixas d’água, árvores, diversas obras, saídas de ramais, cruzamentos com Linhões de Transmissões. Efetuamos o Cadastramento total do Sistema de Transmissão da CTEEP (ex Cesp) em todo ESTADO DE SÃO PAULO, sendo cerca de 30.000 torres, em Linhas entre Tensões de 69 a 500.000 V. Outros clientes como Isolux, Isacteep, em Linhas nos Estados do MA, MG e ES.