Imprensa

Mobilização pela aviação agrícola lota Câmara de Pindorama/SP

/ /

“Nós não estivemos aqui defendendo apenas a aviação agrícola de São Paulo. Defendemos o setor aeroagrícola como um todo.” A frase, dita por Vanderson Augusto Cristofolo, da Pachu Aviação Agrícola Ltda, deu bem o tom do movimento que lotou a Câmara de Vereadores de Pindorama, na noite de quinta-feira. Uma comitiva com mais de 60 operadores de diversas empresas, pilotos, técnicos especialistas e contratantes de serviços da aviação agrícola lotaram o plenário do Legislativo na audiência pública para discutir o Projeto de Lei 01/2017. A proposta visa a proibir a pulverização aérea de defensivos no pequeno município de 15 mil habitantes, situado no noroeste paulista.

O projeto deve ser colocado em votação na próxima segunda-feira (dia 3), na sessão que começa às 20 horas (a casa tem sessões sempre na primeira e terceira segundas de cada mês).

A proposta contra a aviação agrícola ia ser votada no último dia 14, mas uma movimentação do Sindag e de operadores locais, além do Sindiveg e da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) chamou a atenção dos vereadores para várias inconsistências na iniciativa. Sem falar no impacto econômico (a economia local é altamente dependente das lavouras de cana-de-açúcar) e mesmo ambiental para o próprio município. Diante da falta de informações que a própria Câmara admitiu sobre a questão, conseguiu-se a realização da audiência pública.

Agora uma nova mobilização deve ocorrer no dia da votação, para que o setor não tenha uma surpresa.

 PRESENÇAS DE PESO

“Nosso jurídico esteve presente, textos foram distribuídos e banners foram desenvolvidos e impressos pelos nossos associados da região, mas a coletividade dos trabalhos entre sindicato e associados que somos, mostra a força da nossa categoria”, comentou o presidente do Sindag, Júlio Kämpf, que, como toda a diretoria do sindicato aeroagrícola e dezenas de associados pelo País, acompanhou à distância o desenrolar dos fatos, fornecendo suporte ao grupo local.

O Sindag foi representado na audiência pública pelo assessor jurídico Ricardo Volbrecht, que falou sobre o histórico do setor, regulamentação, importância, principais mitos e sua proatividade em boas práticas e segurança operacional. Além dos representantes do setor aeroagrícola, o encontro teve a participação de representantes do Sindiveg e da Única.

Outro nome de peso falando sobre a importância e segurança do setor aeroagrícola, foi o professor João Paulo Cunha, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e um dos coordenadores do programa Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS). Além do engenheiro agrônomo e instrutor e consultor em operações aeoragrícolas Marcelo Drescher e outros palestrantes.

A sessão teve ainda a fala de dois defensores da iniciativa, que fizeram discursos baseados muito mais em retórica do que em dados científicos ou mesmo práticos. Além da fala dos vereadores, que agora se mostraram preocupados com as consequências do projeto – embora pelo menos dois deles tenham se manifestado a favor da proibição. A própria prefeita de Pindorama, Maria Inês Bertilo Miyada (PSDB) também se mostrou preocupada com o andamento da proposta.