Imprensa

MPT e Sindag conversam sobre segurança em operações junto a redes de alta tensão

/ /

    A segurança dos pilotos agrícolas em operações próximos a redes de alta tensão foi o tema da reunião entre o Sindag e o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Pelotas/RS, na última terça-feira (dia 27). O sindicato aeroagrícola foi representado no encontro pelo empresário Alan Sejer Poulsen, que conversou com a procuradora local do MPT, Rubia Vanessa Canabarro. Ela chamou o Sindag para entender as rotinas das operações em áreas com redes elétricas e como se poderia aumentar a segurança das operações.

    Poulsen esclareceu à procuradora como funcionam as operações e quais os procedimentos de segurança seguidos pelos pilotos e operadores. Ele também destacou que é normal as aeronaves passarem sob as redes durante as operações – tanto do ponto de vista da segurança do voo quanto da eficácia das pulverizações. O representante do Sindag explicou que a maioria dos acidentes envolvendo aviões agrícolas e redes elétricas ocorre justamente pela colisão das aeronaves com o cabo para-raios, que fica no topo das torres e é o mais difícil de visualizar. Daí a proposta defendida há anos pelo setor aeroagrícola de instalar esferas de sinalização nas redes em áreas rurais.

EXTENSÃO

   Poulsen também ressaltou que, pelas estimativas do sindicato aeroagrícola, em todo Brasil existem cerca de 30 mil quilômetros de redes de energia sobre áreas de lavouras. Apesar de algumas distribuidoras terem disponibilizado coordenadas de linhas em alguns pontos do País, o representante do Sindag enfatizou à procuradora a importância da referência visual na hora do voo.

    O encontro deve resultar em uma nova audiência, dessa vez, uma mesa redonda envolvendo Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), distribuidoras de energia e o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Uma das propostas é a instalação de esferas de sinalização nas redes que passam sobre áreas de lavouras.

   Atualmente, o tema está também na Comissão de Prevenção de Acidentes em Aviação Agrícola (CPAAA), que é encabeçada pelo Sindag e funciona dentro do dentro do Comitê Nacional de Prevenção em Acidentes Aeronáuticos (CNPAA), coordenado pelo Cenipa.

Procuradora Rubia conversou com Poulsen em Pelotas