Imprensa

Operadores da APA do Banhado Grande tiveram capacitação na Fepam, em Porto Alegre

/ /

Encontro faz parte de acordo para operações aeroagrícolas na área de proteção junto à Região Metropolitana da capital gaúcha

A última quinta-feira (17) foi de treinamento de operadores aeroagrícola gaúchos na sede da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), em Porto Alegre. Em encontro abrangeu empresas de aviação agrícola que atuam na Área de Proteção Ambiental (APA) do Banhado Grande. Os profissionais tiveram palestras sobre as áreas sensíveis da APA, a fim de conhecerem as fragilidades da Unidade de Conservação, zonas de exclusão e discutiram as melhores técnicas para as operações.

O encontro faz parte do acordo firmado no início do mês entre o Sindag e o Ministério Público Estadual (MP/RS) para as operações da safra agrícola 2019/2020 no Banhado Grande. A área de proteção abrange os municípios de Gravataí, Viamão, Santo Antônio da Patrulha e Glorinha. O local historicamente abriga culturas de arroz, o que é perfeitamente legal, desde que garantida a sustentabilidade ambiental da área.

TRANSPARÊNCIA

Em 2015 o MP/RS intimou o Estado para que elaborasse o Plano de Manejo na área, uma lacuna em aberto desde a criação da APA em 1998. Por conta disso, a ação chegou a suspender das pulverizações nas lavouras de arroz dentro da área, que depois foram liberadas em caráter precário até outubro deste ano.

Para a continuidade das operações, o setor aeroagrícola se comprometeu a prestar uma série de informações sobre as empresas e operações que forem realizadas na região. O que, segundo o diretor-executivo do Sindag Gabriel Colle, “não representou dificuldade, “já que está tudo dentro do princípio de transparência seguido pela entidade.” Além de previsto na legislação geral do setor aeroagrícola, que já prevê desde 2008 a elaboração de relatórios detalhados de cada operação.

Encontro ocorreu na sede do órgão ambiental, em Porto Alegre