Claud Ivan Goellner

Os impactos ambientais associados com a pulverização aérea de produtos fitossanitários.

Normalmente e historicamente, quando se fala de pulverização aérea de produtos fitossanitários no Brasil, a concepção que certos setores da Sociedade têm é de que esta tecnologia é causadora de grandes impactos ambientais. A imagem de uma aeronave agrícola pulverizando é sempre vista como problema, e não raro é ouvir que depois que o avião se foi, todos os animais da criação morreram.

Mas, podemos afirmar com base em toda a ciência envolvida no setor e na área de Toxicologia Ambiental, que é justamente o contrário. Inicialmente, devemos deixar claro que os prováveis impactos ambientais, como contaminação do solo, de culturas de entorno, de águas superficiais, da vegetação e de animais de criação são decorrentes principalmente das características ambientais dos produtos utilizados e, em menor grau, da tecnologia utilizada em sua aplicação.

Quanto aos produtos fitossanitários utilizados no Brasil, eles têm as suas características toxicológicas e de comportamento ambiental exaustivamente estudadas e analisadas por órgãos como a ANVISA/MS e IBAMA/MA. Desta forma, seus riscos à saúde da população, seu comportamento ambiental em termos de transporte nos diferentes compartimentos ambientais (solo, água, atmosfera e seres vivos) e de degradação nestes mesmos compartimentos, bem como a sua toxicidade a animais e insetos úteis são importantes parâmetros para a concessão de registros. Uma característica marcante do nosso portfólio de produtos registrados, é que nos últimos anos, experimentou-se um grande avanço na redução da toxicidade dos produtos e nas características das moléculas que garantem rápida degradação e pequeno transporte ambiental, como também, na sua baixa toxicidade aos animais em geral.

Já que no diz respeito à aviação agrícola, o Setor é o que apresenta a maior regulamentação e fiscalização das conformidades ambientais e legais, sendo altamente profissionalizado no que diz respeito a estas questões, com as equipes em constante estão em constante treinamento e capacitação. No planejamento da atividade se tem a observância dos parâmetros tecnológicos, operacionais, das aeronaves e dos quesitos de segurança ocupacional e ambiental que associados ao controle das condições ambientais durante as atividades de pulverização nas lavouras, bem como as características da região a ser pulverizada, não somente na área a ser aplicada, mas naquelas de entorno como rodovias, estradas, áreas de vegetação, áreas povoadas, animais de criação, recursos hídricos e presença de apiários garantem uma condição técnica de eficiência agronômica, de faixa de deposição e de redução da deriva causadora dos impactos potenciais.

Finalmente, cabe destacar, que estas condições operacionais, de planejamento e de observância e controle das conformidades ambientais e legais não existem na pulverização terrestre. Portanto, é na pulverização aérea com tecnologia segura e eficiente que se pode reduzir e mitigar impactos do uso de produtos fitossanitários.

______________________________________________________________________*Professor Titular Aposentado de Toxicologia, Ecotoxicologia e Toxicologia de Alimentos em cursos de Agronomia, Engenharia Ambiental, Farmácia, Engenharia de Alimentos e Medicina Veterinária em várias Instituições de Ensino Superior no Rio Grande do Sul. Atualmente consultor na área. Também foi professor Titular de Entomologia, atuando na pesquisa e desenvolvimento de produtos e no desenvolvimento de plantas resistentes a insetos.