Imprensa

Proposta contra o setor aeroagrícola é adiada para dar espaço ao debate

/ /

Por nove votos a favor, sete contra e uma abstenção – além de duas ausências, a Câmara de Vereadores de Americana aprovou o adiamento por 60 dias da votação em segundo turno do Projeto de Lei 53/2017, que pretende proibir a pulverização aérea de defensivos no município. A proposta de adiamento partiu do vereador Odir Demarchi (PR), que ressaltou que o projeto de proibição, do vereador Padre Sérgio (PT), deveria ser melhor discutido com a população em audiências públicas.

A proposta foi ao encontro do pedido do Sindag, que na última quarta-feira (dia 14) havia solicitado, em uma reunião com todos os vereadores, que a casa adiasse a votação do projeto – que já havia sido aprovado em primeiro turno. Tanto na reunião de semana passada, como na sessão de hoje, o setor esteve representado por uma comitiva de empresários aeroagrícolas.

Defendendo os mesmos argumentos da reunião de quarta, o secretário do Sindag, Bruno Vasconcelos, explicou hoje que a proposta é descabida porque ignora a própria realidade da aviação agrícola.  O principal argumento na justificativa do PL 53/2017 – na verdade, o único contra a aviação – é o velho mito de que apenas 1% das aplicações atingem as plantas alvo e o restante se perde em até 32 quilômetros de distância.

PROJETO EQUIVOCADO

Agora, o objetivo dos empresários aeroagrícolas é aproveitar os debates para mostrar o quanto a proposta de proibição é equivocada.  ”Estaria sendo proibida uma atividade que é o instrumento mais eficiente e seguro de aplicação, que inclusive reduz a quantidade de produtos”, reforçou Vasconcelos, em uma declaração do portal de notícias G1, que também acompanhou a sessão.

Outra prova do desencontro de informações sobre o tema apareceu na sessão de hoje, pela declaração do autor da proposta de proibição também ao G1. Padre Sérgio disse que “a Europa e América do Norte já aboliram esta prática e o Brasil não tem controle”. Detalhe: os norte-americanos não só não abandonaram como tem hoje a maior frota de aeronaves agrícolas do planeta. E no Brasil o setor não só tem controle como é o único meio de tratamento de lavouras com regulamentação própria (e ampla).

EVENTO PARA DESMISTIFICAR

O primeiro passo para mostrar a realidade do setor aeroagrícola aos vereadores de Americana foi o convite para eles visitarem a AeroFest, que ocorrerá neste sábado e no domingo (dias 24 e 25), em Araras/SP. O evento terá sua programação no Aeroporto Municipal Armando Américo Fachini, com apoio institucional do Sindag.

Por enquanto, apenas o vereador Thiago Martins (PV), confirmou presença. “Teremos aviões agrícolas no evento, onde vamos explicar ao público como o setor trabalho. Haverá ainda demonstrações de pulverizações aéreas e de combate a incêndio”, adianta o conselheiro do Sindag Marcelo Amaral, que também estará na AeroFest.