Imprensa

Pulverizações aéreas na luta contra mosquitos em Angola

/ /

   Pulverizações aéreas contra mosquitos fazem parte das ações do governo de Angola contra a malária, em opeorações que vem ocorrendo desde o início do ano no país. A situação epidemiológica no país é tão crítica que as equipes em terra de combate a mosquitos chegam a realizar pulverizações intradomicilares nas cidades com maiores índices da doença.

   Só nos primerios três meses deste ano, o país (que tem 28 milhões de habitantes) registrou mais de 720 mil casos de malária, com 2,1 mil mortes. De acordo com o último Relatório Mundial sobre Malária, divulgado em 2017 pela Organização das Nações Unidas (ONU), houve 216 milhões de casos da doença em 2016 – cinco milhões a mais do que o registrado em 2015.

   O número de mortes por malária foi de 445 mil em 2016 e de 438 mil em 2015 – 90% dos casos de doenças e de mortes ocorreram na África Subsaariana. Entre os países de língua portuguesa, os recordistas mundias são Angola e Moçambique.

   Segundo a ONU, a cada dois minutos uma criança morre de malária no mundo.