Imprensa

São Paulo: Nova mobilização pelo setor aeroagrícola no Estado

/ /

Depois de ter participado de uma audiência na sexta-feira (dia 19), na Câmara de Vereadores de Araraquara, a aviação agrícola será o foco de outra audiência nesta segunda (22), desta vez na Câmara de Vereadores de Catanduva. A reunião da próxima semana será o quarto encontro este ano em São Paulo em que o Sindag comparece para defender o setor aeroagrícola – apresentando dados sobre sua segurança, história e importância para economia local e do País, além de derrubar mitos e dar embasamento técnico às discussões sobre o a questão dos defensivos.

Em Araraquara, o sindicato aeroagrícola foi representado pelo empresário Tiago Magalhães Silva, da Tangará Aeroagrícola, de Orlândia. A sessão ocorreu à tarde e teve a fala também de pilotos agrícolas e representante do setor sucroalcooleiro. A audiência foi promovida pelo vereador Edio Lopes (PT). Participaram também outros empresários e funcionários de empresas de aviação, além de sindicalistas, estudantes e professores da Universidade Federal de São Carlos, representantes da Secretaria de Agricultura do Estado e outras pessoas.

Clique AQUI para assistir ao vídeo da sessão

Segundo o vereador, a discussão foi promovida para discutir o problema dos agrotóxicos na região e a aviação agrícola, embora não haja nenhum projeto tramitando na casa sobre o tema. No entanto, ele explicou que o tema deve voltar ao ser debatido.

OUTRAS AUDIÊNCIAS
Já em Catanduva, o tema será o Projeto de Lei 405/2016, de autoria do deputado Padre Afonso Lobato (PV), que pretende proibir a pulverização Aérea no Estado. O debate será na Câmara de Vereadores local e o Sindag será representado pelo assessor jurídico da entidade, Ricardo Vollbrecht. A audiência terá a presença de vários representantes de empresas aeroagrícolas, além das usinas de cana, do Sindiveg e outras entidades do setor primário.

Essa será a segunda vez em que o projeto de Lobato é discutido em audiência. A primeira vez foi no dia 6 de março, na Assembleia Legislativa. Na ocasião, o Sindag também havia sido liderada por Vollbrecht e a comitiva aeroagrícola teve ainda a presença de representantes do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), do programa Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS) e do projeto Colmeia Viva.

A outra audiência que ocorreu em São Paulo foi no dia 30 de março, na cidade de Pindorama. Lá, a mobilização aeroagrícola foi em resposta a um projeto de lei que pretendia proibir a pulverização aérea no município. Depois dos operadores, pilotos, produtores e representantes das usinas lotarem o plenário e do debate ter esclarecido o contrassenso da justificativa da proposta – que dizia apenas que a aviação aérea prejudicial (sem maiores embasamentos), o projeto acabou arquivado.