Imprensa

Seminário debateu desafios e oportunidades do setor aeroagrícola

/ /

Cerca de 80 operadores aeroagrícolas, fornecedores e especialistas no setor, de sete Estados – RS, PR, SP, MT, GO, TO e ES, movimentaram na última sexta-feira o auditório do Hotel Master Premium Royal, em Porto Alegre, para o 1º Seminário de Aviação Agrícola. Com o tema Desafios e Oportunidades, o evento foi acompanhado também pela internet, onde cerca de 200 pessoas assistiram à transmissão em tempo real das palestras e discussões.

Entre as palestras que ocorreram durante todo o dia, destaque para a fala do economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, que destacou a oportunidade do setor aeroagrícola em apostar nas terceirizações por parte dos produtores rurais. Segundo ele, a necessidade de mais alimentos por parte da população mundial também está exigindo maior competitividade dos agricultores brasileiros, o que pressupõe corte de custos – onde entra a contribuição da aviação agrícola (veja AQUI a entrevista).

PROFISSIONALIZAÇÃO E GESTÃO

A exigência de maior profissionalização na gestão das empresas e maior atenção à segurança ambiental deram o tom também das outras palestras do dia, como a do empresário Tiago Textor, de Rio Verde/GO, que falou estratégias de gestão para o setor; ou a do contador e mestre em Ciências Empresariais Marcone Hahan de Souza, que abordou os desafios contábeis para as empresas.

Na mesma linha, o advogado João Gabriel Camargo abordou os impactos da na Lei da Terceirização (Lei 13.429/17) e seu colega, Ricardo Vollbrecht, falou sobre os desafios jurídicos para o setor envolvendo ações de proibição e outros movimentos baseados muito mais na falta de informação sobre o setor e na generalização de problemas pontuais.

O Seminário teve ainda a palestra do professor Ulisses Rocha Antuniassi, da Unesp/Botucatu, em São Paulo, sobre o programa Certificação Aeroagrícola Sustentável. Ele falou sobre a mudança de estrutura no CAS, que passou a ser mais exigente a partir de agora. Já o jornalista Castor Becker Júnior abordou os desafios do ponto de vista da comunicação, ressaltando a necessidade de cada vez mais as empresas serem proativas em ações para se mostrarem conversarem com suas comunidades. Segundo ele, o objetivo é que os empresários entendam a dinâmica das notícias e o papel da imprensa, de modo que os jornalistas possam cada vez mais ser abastecidos com informações que os ajudem a entender o setor.

A promoção do Sindag completou a jornada aeroagrícola iniciada no dia anterior, quando os representantes de empresas associadas ao sindicato aeroagrícola tiveram sua Assembleia Geral.

O Seminário foi das 8h30 às 17 horas da sexta e contou também com apresentações sobre os preparativos do Congresso Sindag 2017, que vai ocorrer em agosto, em Canela/RS, e a divulgação, pelo Seripa V, do Curso de Prevenção em Acidentes Aeronáuticos-Aeroagrícola (CPAA-AG).

O público no auditório teve ainda uma apresentação da corretora Vokan sobre seguro de aeronaves e pilotos, além da fala do representante da Covington Aircraft, de motores, que está se instalando no País e também estará no Congresso Sindag. Depois, foi a vez da apresentação da ferramenta de gestão Precisão em Campo e a tarde fechou com o lançamento da segunda edição do livro Manual de Piloto Agrícola, do consultor Marcelo Drescher, que autografou a obra.