Imprensa

Sindag cobra maior participação do Mapa em discussões sobre o setor aeroagrícola

/ /

O Sindag cobrou do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) uma maior participação nas discussões sobre projetos de leis que têm surgido, especialmente em municípios, visando restringir ou mesmo proibir a aviação agrícola. Esse foi o tema principal de um encontro, na última semana, do presidente do sindicato aeroagrícola, Júlio Kämpf, com os assessores Ricardo da Cunha Cavalcanti Júnior e Fernando José de Pádua Costa Fonseca, do Gabinete do Ministro Blairo Maggi.

 

A reunião ocorreu na quinta-feira (dia 26) e o dirigente aeroagrícola explicou que, especialmente em nível de municípios, o Sindag tem participado de debates surgidos invariavelmente baseado em mitos e na falta de conhecimento sobre a própria legislação federal sobre setor. Kämpf ponderou ser preocupante que tantas vezes se esteja questionando e tentando sobrepor o próprio papel do Ministério sem que ele ao menos se manifeste nos debates. Embora agentes do Mapa tenham comparecido em alguns encontros em nível estadual, o Sindag entende que é necessário maior comprometimento institucional com o setor, para barrar os equívocos em diversas frentes – algumas vezes com foco meramente eleitoreiro.

A reunião contou também com o coordenador do Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade da Coordenadoria Geral de Qualidade (CGQ/Depros) do Mapa – que abrange as políticas do setor aeroagrícola, Fabrício Santana Santos, que ratificou a preocupação do setor aeroagrícola. Por parte do Sindag, o presidente estava acompanhado do diretor-executivo, Gabriel Colle, e do assessor legislativo da entidade, José Cordeiro de Araújo.