Imprensa

Sindag integra esforço da Anac contra operadores irregulares na aviação

/ /

     A caça a operadores clandestinos na aviação geral foi o tema da reunião ocorrida na última quinta-feira (dia 15), entre a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Sindag e representantes dos sindicatos nacionais das Empresas de Taxi Aéreo (SNETA) e dos Aeronautas (SNA), além das associações brasileiras das Empresas Aéreas (Abear), de Aviação Geral (Abag) e de Táxi Aéreo e Oficinas de Manutenção (ABTAER). O encontro foi na sede da Anac em Brasília e o sindicato aeroagrícola foi representado pelo diretor Thiago Magalhães.

    Segundo o gerente de Operações da Superintendência de Ação Fiscal da Agência, Marcelo de Souza Carneiro Lima, a ideia é buscar aproximação com as principais associações e sindicatos de forma a auxiliar nas fiscalizações e combater a aviação irregular no País. A iniciativa integra o Plano de Gestão de Relacionamento com Regulados, que a partir de agora deverá ter uma série de encontros e debates com as entidades da aviação.

APOIO

    Lima explicou que o trabalho da Anac está abrange também uma Gerência de Inteligência que atua em conjunto com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Sobre a aviação agrícola, Magalhães ressaltou que a iniciativa vem ao encontro do trabalho do Sindag, que tem reforçado junto a seu público interno a qualificação e transparência na atividade, ao mesmo tempo em, junto com os próprios operadores aeroagrícolas, tem cobrado das autoridades rigor contra eventuais clandestinos.

    O diretor do Sindag lembrou ainda os casos de operadores privados (TPP, que são produtores que têm seus próprios aviões) que prestam serviços remunerados a outros agricultores (o que é ilegal) e sem precisarem cumprir tantas exigências legais quanto as empresas aeroagrícolas. Magalhães deixou claro o interesse do sindicato em buscar as irregularidades e o apoio ao canal direto proposto pela Anac.