Imprensa

Sindag participa de anúncio do Compromisso 2020 do projeto Colmeia Viva

/ /

O Sindag esteve presente na última semana na cerimônia de anúncio do Compromisso 2020, do projeto Colmeia Viva, realizado pelo Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg). A movimentação ocorreu na manhã da quinta-feira (dia 19), no Centro de Eventos, Brasil 21, em Brasília/DF. O sindicato aeroagrícola é parceiro do projeto desde o seu início e foi representado na ocasião pelo assessor parlamentar Pietro Rubin. Quatorze empresas químicas assinaram um compromisso público apoiando os próximos passos do da iniciativa, dentro de seu plano de metas até 2020.

Esse foi mais um passo dentro do manifesto lançado em 2015, para garantir a segurança alimentar do País com o uso correto dos defensivos e, assim, proteger também as abelhas e o meio ambiente. Chancelaram o Compromisso 2020, as empresas Arysta Lifescience do Brasil, Basf, Bayer CropSciences, CCAB Agro, Dow AgroSciences Industrial, DuPont do Brasil, FMC Química do Brasil, Helm do Brasil Mercantil, Mitsui Chemicals do Brasil, Ourofino Química, Rotam do Brasil Agroquímica e Produtos Agrícolas, Sumitomo Chemical do Brasil, Syngenta Proteção de Cultivos e UPL do Brasil. Todas integram um grupo de trabalho multidisciplinar liderado pelo Sindiveg, e participam com suas áreas técnicas de stewardship, regulatório, relações institucionais e de comunicação.

Com isso, o grupo deve otimizar os esforços em torno das iniciativas do Colmeia Viva, que ganha ainda mais força a partir de agora.

INICIATIVAS E METAS

O compromisso apresentado na quinta-feira prevê objetivos e metas em cinco bandeiras do projeto:

Bandeira 1 – Relação mais produtiva entre Agricultura e Apicultura

O foco aqui é consolidar a importância da agricultura para a apicultura e vice-versa, por meio da construção de uma relação “ganha-ganha” entre agricultor e apicultor. Para isso, a meta até 2020 é implantar um Plano Nacional, via plataforma digital, que possibilite o diálogo entre as partes. Isso deve ser construído com parcerias com entidades representativas da agricultura, apicultura e de aplicação de defensivos, por etapas: até o final de 2018 nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul e, até o final de 2019, no Mato Grosso, Minas Gerais, Bahia e Goiás.

Bandeira 2 – A abelha no âmbito da agricultura, do defensivo agrícola e da biodiversidade

O objetivo é desenvolver e disseminar conhecimento sobre a interação entre as abelhas, a agricultura e o uso de defensivos agrícolas. Aqui, a meta até 2020 é fomentar a pesquisa o acesso a informações e o desenvolvimento de serviços comerciais de polinização, biodiversidade e agricultura.

 Bandeira 3 – Complementaridade entre os defensivos agrícolas e a polinização realizada pelas abelhas 

O objetivo é criar mecanismos customizados de proteção das abelhas, de acordo com a taxa de dependência e polinização das culturas agrícolas. Nisso a meta até 2020 é identificar técnicas amigáveis às abelhas, relacionadas à aplicação de defensivos, customizadas para culturas dependentes, beneficiadas e não dependentes de polinização realizada pelas abelhas. As culturas-foco serão definidas até 31 de dezembro de 2018, considerando os resultados preliminares das áreas-foco relativas às bandeiras 1 e 4.

Bandeira 4 – Conscientização da cadeia de distribuição sobre a importância da integração agricultura/apicultura

O foco é engajar a cadeia de distribuição (equipes de marketing e vendas, distribuidores, revenda e cooperativas), para garantir a orientação para a aplicação correta de produtos, minimizando danos à polinização e às abelhas. A meta é capacitar 100% das equipes de vendas das empresas signatárias até 31 de dezembro de 2018 e impactar 70% da sua rede de distribuição de produtos nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso até 31 de dezembro de 2020.

Bandeira 5 – Transparência e proatividade na relação com o governo em prol do uso correto de defensivos agrícolas e da proteção das abelhas

Tem como objetivo colaborar na criação de mecanismos de regulamentação para a proteção e segurança das pessoas, do meio ambiente e das abelhas. Nisso, a meta até 2020 é divulgar os resultados do Colmeia Viva, fornecendo subsídios aos mecanismos de regulamentação no tema.

Clique AQUI para saber mais sobre o projeto Colmeia Viva – iniciativas em andamento, histórico, abrangência e outras informações