Imprensa

SkyAgri e Avant firmam parceria para uso de drones em lavouras da metade sul gaúcha

/ /

A empresa SkyAgri, de drones para lavoura (Porto Alegre/RS), e a Avant Sementes (Cascavel/PR), de consultoria e insumos, firmaram uma parceria para fornecimento de serviços de pulverização ou semeadura por drones para produtores rurais da metade sul gaúcha. A assinatura ocorreu no último dia 13, durante a 30ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz, em Capão do Leão/RS, e vem na esteira do feedback positivo dos ensaios realizados na região. Pela parceria, a SkyAgri (que é uma spin-off da SkyDrones, associada ao Sindag) entra com os equipamentos, assistência técnica e aprimoramentos que forem aplicados aos aparelhos não-tripulados, enquanto a Avant Sementes, que já comercializa insumos, passa também a fornecer o serviço de aplicações com os drones.

“Estamos trazendo para a aplicação aérea um nicho ainda hoje fora da aviação agrícola, como os trabalhos de pulverizações em áreas menores, a exemplo de lavouras de tabaco, frutas e florestas comerciais. Além dos arremates em soja, milho, arroz e outras culturas– em pontos muito próximos a áreas sensíveis ou com muitos obstáculos”, explica o diretor da SkyAgri Eugênio Schröder. “Na verdade, estamos substituindo os pulverizadores costais”, enfatiza o empresário e agrônomo. “E suprindo lacunas dos próprios terrestres”, completa, referindo-se, por exemplo, à aplicação de sementes pequenas demais para a regulagem adequada nos sistemas de tratores.

PIONEIRISMO

A Avant Sementes foi representada na assinatura pelo agrônomo Talles Soares Rosa e Schröder estava acompanhado ainda do diretor de Marketing da SkyAgri, Fausto Zanini. A assinatura também teve um aspecto simbólico importante, já ocorreu próximo a Pelotas. “Além de berço da aviação agrícola brasileira, em 1947, o município foi o local onde ocorreu a primeira aplicação real de herbicida por drones, em 2017”, ressalta Schröder. A SkyAgri já atua com drones de pulverização em lavouras de soja, floresta, milho, cana-de-açúcar, frutas e outras culturas na Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso de Sul, São Paulo, Santa Catarina e Paraná, além de outras regiões do Rio Grande do Sul.

Para o novo parceiro da fornecedora de tecnologia não-tripulada, a expectativa é multiplicar clientes, pela boa resposta nos atendimentos feitos de forma experimental. “Tivemos uma boa resposta entre os produtores que apostaram na ferramenta e as facilidades e eficiência da dos drones devem ampliar muito esse mercado”, resume Talles Soares.

Schröder, Rosa e Zanini: complemento às aeronaves e substituição dos costais