Imprensa

SkyDrones e Schroder demonstram drone em aplicação em floresta

/ /

O uso de drone para substituir equipamentos terrestres (tratores e bombas costais) em terrenos íngremes no cultivo de florestas comerciais. Esse foi o foco dos testes realizados na última semana pela empresa SkyDrones juntamente com a Schroder Consultoria na cidade mineira de Camanducaia. A movimentação ocorreu na quarta e na quinta-feira (dias 10 e 11), em uma área da Melhoramentos Florestal (foto).

O trabalho foi acompanhado por engenheiros da Melhoramentos e o equipamento usado foi um Pelicano, desenvolvido pela própria SkyDrones. Foram realizadas aplicações de herbicida dessecante em pré-plantio das mudas e para controle de brotação de eucalipto, além de fertilizante foliar para suprir deficiências nutricionais das árvores.

A Companhia Melhoramentos atua na fabricação de papéis e no mercado editorial. Sua área florestal é justamente para garantir de maneira ambientalmente sustentável o fornecimento de matéria-prima para suas unidades fabris. A unidade florestal de Camandatuba é uma das três da empresa que cultiva pinus e eucalipto na fazenda Levantina, com 12 mil hectares.

Já a SkyDrones, situada em Porto Alegre, é especializada em soluções para o mercado de aparelhos não tripulados para diversas atividades, desde a agricultura até a inspeção de redes elétricas, passando pela mineração. “Nós buscamos o aparelho e a tecnologia conforme a necessidade do cliente”, explica 0 CEO da empresa Ulf Bogdawa. “Se não encontramos no mercado o que necessitamos, aí nós fabricamos”, completa. Associada ao Sindag, a empresa porto-alegrense foi provavelmente a primeira no mundo especializada em aparelhos não-tripulados ligada a uma entidade aeroagrícola.

SOJA E ARROZ

Em dezembro, a SkyDrones e a Schroder Consultoria realizaram uma série de apresentações de uso de drones em lavouras de soja e arroz na Paraná e em Santa Catarina. No caso, o foco foi mostrar os modelos Zangão e Matrix, para coleta de imagens e diagnósticos de lavouras, e o Pelicano, nesse caso usado para aplicar pontualmente tanto inseticidas, quanto fungicidas, herbicidas ou fertilizantes foliares, para corrigir problemas fitossanitários ou nutricionais.

No caso da pulverização os drones são na verdade complementares ao trabalho do avião agrícola, destinando-se a aplicações pontuais, em áreas menores ou em “arremates” de área maiores. Segundo Bogdawa, podendo inclusive se tornarem uma ferramenta a mais para os próprios operadores aeroagrícolas.