Colunas

Uma nova fase

Quantas pessoas sonham com uma nova fase em suas vidas, quantas vezes planejamos grandes mudanças, projetamos tudo milimetricamente. Mas a vida gosta de nos “pegar de jeito” e nos surpreender, e é uma sucessão de altos e baixos que tornam nossa vida uma vida de verdade. Já vi muitas teorias que falam sobre a felicidade, mas a coisa mais certa é que ela é algo a ser construído dia-a-dia. Há quem diga que sempre depois de algo ruim, nos acontece algo bom, e é nessa alternância de momentos que nos deparamos com a tão sonhada felicidade.

Mudar de vida não é tão simples assim e não depende só de nós, digam o que quiserem, mas dependemos dos outros para sermos felizes, não só deles é claro, mas precisamos deles também. As atitudes daqueles que nos cercam tem efeitos sobre nós, e alguns exemplos simples podem demonstrar isso. Se as pessoas sorriem, se elas te cumprimentam, te abraçam, te ligam, seu dia se transforma. Agora imagine o contrário, ninguém te liga, ninguém te olha, ninguém lembra de você. Um simples gesto, faz com que nos sintamos alguém, um bom dia é importante, um telefonema, um e-mail, um simples “oi”. Não conheço nenhuma grande personalidade que se sinta bem ao passar na rua sem ser reconhecido. O ser humano necessita de reconhecimento, precisamos uns dos outros,
ninguém é tão auto-suficiente que suporte ser ignorado. Precisamos que nos vejam, que nos digam alguma coisa, que nos toquem, que nos considerem parte do mundo.

É… mas as pessoas não ligam, não distribuem sorrisos, não demonstram o que sentem ou será que nem sentem? Reprimem, escondem, mascaram, não sei. Só sei que hoje os consultórios de psicólogas e psiquiatras estão lotados de pacientes com o chamado “complexo de inferioridade”, do qual muitos de nós sofremos. Sou feio, pobre, sem graça, sou gorda, sou magra, sou alta, sou baixa, sou um “Zé ninguém”, é assim que muitos se sentem. Mas como mudar essa realidade e fazer com que as pessoas que estão ao seu lado se sintam importantes, se sintam valorizadas, úteis, se sintam alguém? Não é preciso lhe dar um aumento de salário, apenas abrir o seu coração.
Experimente um dia cumprimentar o jardineiro de sua empresa, ele que está cabisbaixo varrendo o pátio, passando despercebido diante dos olhos de todos. Observe a reação dele, seus olhos irão brilhar e ao se levantar certamente ele verá você como se fosse uma grande personalidade ou então uma das pessoas mais importante do mundo. E eu lhe pergunto: Doeu? Foi muito difícil?

Talvez o mais difícil não seja dizer o bom dia, mas sim passar por cima do nosso orgulho, indiferença e preconceito em relações aos demais. Mas saiba que este gesto poderá mudar a sua vida e a dele, é o primeiro passo para se tornar querido, passar e deixar marcar, ser humano com tudo e com todos, sem diferenças. Me digam o que a gente leva dessa vida, se não os momentos que passamos? Por isso vale o nosso esforço para fazer deles os melhores, os mais agradáveis, os mais felizes. Está na hora de tirar a ruga desta desta e começar a viver está nova fase em sua vida.