Imprensa

Governo mineiro responde positivamente a demanda do Sindag

/ /

Sindicato recebeu nessa quarta ofício da secretária de Agricultura informando a prorrogação, desde o dia 9, das licenças e registros das aeroagrícolas

O Sindag recebeu nessa quarta-feira (6) a comunicação oficial da resposta positiva do governo de Minas Gerais ao seu pedido de suspensão temporária dos custos de licenças das empresas aeroagrícolas. A solicitação havia sido feita no dia 31 de março, para aliviar as contas das empresas durante a crise do novo coronavírus. A correspondência, assinada pela secretária estadual de Agricultura, Ana Maria Soares Valentini, informa que já no dia 9 de abril o Instituto Mineiro de Agropecuária publicou, nesse sentido, a Portaria IMA nº 1974/20.

A medida ampliou a validade dos certificados de conformidade, cadastro, registro ou habilitação concedidos pelo órgão e que venceriam a partir de 12 de março. O novo prazo de renovação agora vai até 30 dias depois que acabar a Situação de Emergência provocada pela pandemia. Ofício do governo mineiro ao Sindag foi assinado também pelo subsecretário de Política e Economia Agropecuária, João Ricardo Albanez. Minas foi o primeiro Estado que manifestou oficialmente apoio ao pedido do setor durante a crise da Covid-19.

ESTADOS

O mesmo pedido havia sido feito aos governadores de todos os Estados com atuação de empresas aeroagrícolas. Conforme o presidente do Sindag, Thiago Magalhães Silva, “o objetivo foi ajudar a garantir a sobrevivência das empresas aeroagrícolas nessa época de dólar em alta, queda de faturamento e até inadimplência de clientes.”

Só com a desvalorização do real frente ao dólar, os operadores tiveram um amento de quase 30% nas despesas vinculadas à moeda americana. O que, por sua vez, representam cerca de um terço do custo operacional no setor – abrangendo desde prestações de aeronaves até a manutenção dos aviões. 

[fbcomments]