Fort Aviação cria brigada aérea de incêndio para atender produtores em Goiás

Empresa treinou sete pilotos para o combate às chamas e forneceu equipamentos para equipes que atuarão em solo nas fazendas 

 

A empresa Fort Aviação Agrícola, de Rio Verde, Goiás, colocou em operação neste mês uma brigada de combate aéreo a incêndios. Conforme o coordenador técnico da empresa, Thiarly Roberto Carolino Lemes, o foco é atender produtores rurais na região em torno do município sede (abrangendo Santa Helena de Goiás, Ouroana, Riverlândia e outros) e na região de Rio Preto. Para isso, sete pilotos da Brigada Aérea da Fort passaram por um treinamento especial do dia 7 a 10 de julho.

A equipe teve como instrutores o empresário aeroagrícola e piloto Astor Schlindwein (com mais de 20 anos de experiência nesse tipo de operação) e a especialista em aviação agrícola Mônica Maria Sarmento e Souza – do Ministério da Agricultura. Mônica, por sua vez, tem formação em Aviação de Combate a Incêndios em Campos e Florestas pelo British Columbia Forest Service/Canadá; pela Junta de Andaluzia/Espanha e Governo do Chile.

SUPORTE

Além do aprimoramento técnico, a equipe da Fort também fabricou abafadores (tipo batedores) de chamas em vegetação, para serem fornecidos aos clientes da empresa. O equipamento é usado pelo pessoal das fazendas que fazem a linha de frente contra as chamas. Isso porque, nesse tipo de operação, o avião dá suporte às equipes em solo, atenuando e segurando as chamas para o combate direto, além de proteger o pessoal.

A temporada de incêndios no Centro-Oeste normalmente vai até setembro. Com a alta temperatura e tempo muito seco nesta época, os incêndios ganham rapidez e intensidade. Não só causando prejuízos em lavouras, mas também colocando em risco desde usinas até sedes de fazendas e outras estruturas, sem falar nas áreas de preservação ambiental.

Além disso, o próprio Boletim de Queimadas da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado (Semad) indica que a Brigada de Incêndio da Fort Aviação Agrícola está estreando com perspectiva de bastante trabalho. Só no Sudoeste goiano, área da empresa, foram registrados 78 focos de incêndio. Isso já é 10% a mais do registrado em todo o mês em 2019. E a temporada está só começando.

 

Equipe da Fort passou por treinamento intenso no início do mês, com dois dos maiores especialistas do País em operações aéreas contra incêndios

Empresa também preparou abafadores de chamas para as equipes em terra nas fazendas

 

Comments

wonderful comments!