Mau tempo impede o combate a gafanhotos na Argentina

Segundo relatório do Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Alimentar (Senasa) divulgado no final da tarde, a operação aérea que estava prevista para esta quarta-feira (1º) contra os gafanhotos acabou suspensa devido ao mau tempo. Devido ao frio e dias chuvosos, os insetos seguem pousados desde segunda-feira (29) na região de Sauce, província de Corrientes. Para chegar aos gafanhotos e mapear o local para uma possível operação aérea, os técnicos tiveram que viajar de caminhonete até a sede de uma fazenda e dali seguir por mais de uma hora a cavalo.

Na manhã desta quarta, a operação começou a ser preparada às 4 horas da manhã. A equipe de terra chegou a ir a campo para acompanhar a ação – preparando-se para fazer a avaliação após a passagem da aeronave. Como havia vento forte e chuvisco intermitente, o piloto, que estava a postos no hangar na cidade de Mercedes, ainda esperou até às 9h30, antes de decidir abortar a missão.

Os técnicos em solo ainda acompanharam a situação até por volta das 16h30, para ter certeza de que a nuvem de insetos não voltaria a se deslocar. Com o dia cinzento e temperatura baixa, os gafanhotos permaneceram no mesmo local. A expectativa agora é de que possa haver uma melhora no tempo para possibilitar uma nova ação amanhã.

BRASIL

Enquanto isso, no lado de cá da fronteira, no Rio Grande do Sul, técnicos da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, do Ministério da Agricultura e da Emater participaram de um treinamento via web sobre características e identificação dos gafanhotos. O curso, que teve cerca de 100 participantes, foi das 11h30 às 16h30 e contou com entomologistas da Embrapa.

Já nesta quinta entidades argentinas, do Uruguai e do Brasil terão uma teleconferência para debater o cenário da praga de insetos, as ações em cada país e os planos para uma estratégia para eventuais repetições da crise. O encontro pela internet terá transmissão ao vivo pelo canal do Sindag no YouTube (www.youtube.com/sindagaviacaoagricola) e contará representantes dos governos, entidades da aviação agrícola dos três países