O mercado sucroenergético na crise do coronavírus é tema da palestra desta quarta

Rodada promovida pelo Sindag e Ibravag sobre as perspectivas de cenários nas principais lavouras atendidas pelo setor tem hoje o segundo de 12 encontros

Os associados do Sindag e do Ibravag terão nesta quarta-feira (29) a segunda palestra via web da série abordando os impactos do coronavírus nas principais lavouras atendidas pela aviação agrícola brasileira. Desta vez, o foco será o setor sucroenergético, com a apresentação do economista Haroldo José Torres da Silva. Será a partir das 16 horas, pela plataforma Zoom (o link de acesso será enviado pelos grupos de associados no WhatsApp).

Doutor em Economia e professor do Programa de Educação Continuada em Economia e Gestão de Empresas da Universidade de São Paulo (USP), Haroldo Torres possui experiência principalmente na área de Economia Agrícola, com ênfase em análises de custos de produção. Ele deverá abordar aspectos como a queda nos preços do etanol, a perspectivas de retomada no consumo de biocombustível no pós-coronavírus e a expectativa de quanto tempo o mercado deve levar para se recuperar em cada cenário. A videoconferência servirá também para se avaliar o papel e as oportunidades da aviação agrícola nesse contexto.

A série de palestras sobre os cenários nas lavouras importantes para o setor aeroagrícola teve início na última semana e as videoconferências serão sempre às quartas-feiras. As videoconferências contarão com especialistas em mercado, produção e tecnologias de pelo menos 12 das 17 lavouras atualmente atendidas pela aviação no país. Após a cana-de-açúcar, o tema do dia 6 de maio também está definido: o encontro abordará o mercado de florestas comerciais.

RODADAS

Na última quarta, o encontro de abertura abordou o setor da soja, com a fala do diretor-executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Wellington Andrade. Cerca de 30 representantes de empresas associadas do encontro que durou cerca de uma hora e meia. Andrade falou sobre os números da produção mato-grossense, avaliando também a produtividade nacional e as tendências do mercado internacional.

Segundo ele, apesar da expectativa de aumento de área de produção nos próximos anos, a cultura da soja também deve registrar um aumento do custo de produção. “Com isso, o grande desafio será a eficiência”, completou. Durante os debates, o presidente do Sindag, Thiago Magalhães Silva, destacou que o fator eficiência será uma exigência maior também para a aviação agrícola.

Comments

wonderful comments!