Sindag tem novo encontro com ministro Tarcísio de Freitas

Conversa via web serviu para reforçar demandas já com foco no papel fundamental que a aviação agrícola deverá ter no pós-pandemia

O presidente do Sindag, Thiago Magalhães Silva, teve nessa quinta-feira (20) uma videoconferência com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. O encontro foi intermediado pelo senador Luis Carlos Heinze e teve a participação também do diretor Francisco Dias da Silva e do secretário executivo do sindicato aeroagrícola, Júnior Oliveira. Na pauta, Magalhães reforçou junto a Tarcísio de Freitas demandas principalmente quanto a políticas para o setor aeroagrícola.

O presidente do Sindag reafirmou ao ministro a importância da aviação para o setor primário do País crescer de maneira sustentável – aliando eficiência, tecnologia e segurança ambiental. Entre ações específicas, a conversa abordou medidas para desburocratizar o setor, como a flexibilização de exigências para empresas pequenas (sem diminuir a segurança operacional), a possibilidade do registro de pista de pouso aeroagrícola para dias de campo e maior facilidade para intercâmbio de aeronaves entre as empresas.

PROJETO

O dirigente aeroagrícola também reforçou a disposição do Sindag em ajudar a subsidiar o governo com informações sempre que forem elaborados planos relativos ao agro e ao setor aeronáutico. Já Tarcísio de Freitas adiantou aos representantes do sindicato aeroagrícola que parte das demandas apresentadas pelo setor devem ser contempladas no projeto Pró-Brasil, que deve ser lançado nos próximos dias. O projeto é um pacote amplo de medidas sociais e econômicas que o governo federal está preparando com vistas principalmente a recuperar a economia brasileira dos danos causados pela pandemia da Covid-19.

Reunião teve a participação também do senador Heinze, que intermediou o encontro

Essa foi a terceira audiência do Sindag com o ministro da Infraestrutura em menos de um ano. A primeira havia ocorrido em outubro do ano passado, presencialmente, e a segunda foi em junho, já via internet, devido às restrições da pandemia do novo coronavírus. O foco do presidente do Sindag em todas tem sido destravar o setor, desburocratizando processos que não interferem na segurança das operações.

Para Magalhães, modernizar regulamentos, políticas e a própria gestão do setor é fundamental para o crescimento da aviação agrícola alcançar uma demanda prevista de pelo menos 400 novas aeronaves no campo até 2028. Isso de acordo com as projeções de crescimento produção agrícola, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). “Se antes já era urgente para garantir eficiência e produtividade nas lavouras, mantendo-as sustentáveis, agora há o fator pós-pandemia. Alimentos a matérias-primas de qualidade e a preços competitivos serão ainda mais necessários para o consumo interno e para a balança comercial. Isso se faz com aviação no campo.”

Comments

wonderful comments!