Tecnologia aeroagrícola na pauta de workshop no MT

Promoção foi da Associação de Engenheiros Agrônomos, com palestra do consultor Agadir Mossmann, tendo o Sindag entre os patrocinadores e abrangendo também aplicações terrestres, plantio e agricultura 4.0

Boas Práticas de Tecnologia de Aplicação Aérea foi o tema da palestra do consultor do Sindag Agadir Mossmann durante o Workshop Boas Prática Agrícolas, ocorrido nessa sexta-feira (6) em Primavera do Leste/MT. A promoção foi da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Primavera do Leste (AEAPL), que também sediou o evento. O Sindag foi um dos patrocinadores e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado (Crea-MT) estava entre as entidades apoiadoras.

A programação durou toda a tarde e abordou também tecnologias de aplicações terrestres e tecnologias de plantio. “O público foi de empresários aeroagrícolas, agrônomos, estudantes e professores de Agronomia, políticos e representantes das entidades parceiras”, destaca Mossmann. Depois das apresentações, o momento foi de debates e os presentes puderam ainda esclarecer dúvidas com os palestrantes.

No caso da aviação agrícola, Mossmann respondeu a várias perguntas sobre a alta regulação da aviação agrícola e a formação exigida de toda a equipe envolvida nas operações. Ele esclareceu que além do papel do piloto, há a responsabilidade do agrônomo da empresa aeroagrícola (que é o coordenador das operações) e destacou ainda o papel do técnico agropecuário, cuja presença é obrigatória em todas as operações e que, para atuar no setor, precisa ter curso de especialização como Executor em Aviação Agrícola (CEAA).

AMPLITUDE E PARCERIAS
“Foram principalmente perguntas com foco na segurança”, conta o diretor técnico na AEAPL e coordenador da Câmara Especializada de Agronomia (Ceagro) do Crea-MT, Clóvis Albuquerque. “Nós visualizamos com nossos parceiros uma oportunidade abordarmos boas práticas de uma forma ampla, com o que já existe e onde se pode melhorar. No caso do Sindag, a ideia foi aproveitar a proatividade da entidade – em qualificar o setor aeroagrícola e em levar informações ao público – para mostrar o seu trabalho”, completa Albuquerque.

O diretor ressalta ainda que a amplitude do tema boas práticas foi ainda desde a regulagem e parâmetros para aplicações terrestres até o manuseio de produtos e as ferramentas em softwares para otimizar o trabalho na lavoura. Assim, a apresentação sobre aplicações terrestres ficou a cargo da fabricante de máquinas agrícolas Jacto, com palestrantes da Bayer, Corteva Agriscience e Pioneer se encarregando das apresentações sobre insumos e plantio.

Todas essas empresas, assim como o Sindag, foram patrocinadoras do evento. O Workshop foi viabilizado também pelo apoio do Crea/MT, a Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea (Mutua), Instituto Federal Mato Grosso, Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), universidade Unic e Sindicato rural.

“O representante da Jacto mostrou a importância da regulagem dos equipamentos e a importância de se respeitar as condições climáticas e os parâmetros técnicos”, destaca Albuquerque. “A Corteva apresentou novidades o controle de ervas e os cuidados necessários para o manejo correto dos produtos. A Bayer enfatizou a tecnologia 4.0 que, ao mesmo tempo em que veio para ajudar o produtor, exige dele atualização para obter o máximo de desempenho com sua utilização”, assinala o diretor. A Pioneer apresentou recomendações para de plantio e plantabilidade para se ter maior resultado possível na produtividade. “Todas as palestras focaram mais em boas práticas e menos em produtos. Ou seja, o importante foi repassar conceitos”, conclui Albuquerque.

Mossmann falou para um público de empresários aeroagrícolas, agrônomos e estudantes

 

Comments

wonderful comments!