Vantagens da Aplicação Aérea

Veja o vídeo do Assessor do SINDAG Dr. Henrique Campos:

 

  • RESUMO
    Grandes extensões de terra.
    Vazios demográficos até a lavoura.
    Urgência na aplicação para combate a doenças agressivas como a ferrugem asiática da que ataca a  Soja.
    Para atender culturas altas ou irrigadas como a Cana-de-açúcar e o Arroz.

 

  • RAPIDEZ

É a qualidade mais evidente, sendo a maior responsável pela eficácia do tratamento. Mesmo com volumes de aplicação considerados elevados, de 30 a 40 l/ha, a rapidez do tratamento aéreo é insuperável, ultrapassando os 50 hectares/hora. Quando aplicando em volumes menores (15-20 litros/hectare), o rendimento pode atingir algo como 80 hectares/hora. Produtividades superiores a 100 hectares/hora podem ser alcançadas com volumes abaixo de 10 litros/ hectare (tudo dependendo do avião, distância e comprimento da lavoura, etc).

 

  • APROVEITAMENTO MELHOR DA CONDIÇÃO METEREOLÓGICA

O maior benefício decorrente da rapidez é poder tratar grandes áreas no momento adequado. Detectada a doença ou praga em um setor, TODA a lavoura pode ser tratada em pouco tempo, evitando a disseminação dos insetos ou fungos.

 

  • APLICAÇÃO UNIFORME POR NÃO SOFRER IRREGULARIDADES DO SOLO

Como o avião aplica em velocidade praticamente constante e não sofre influência das condições do solo (umidade, irregularidades), a uniformidade é excelente. Melhor resultado pode ser ainda obtido se o avião estiver equipado com sistema DGPS e um sistema de controle automático de vazão a ele acoplado. Esta configuração permite compensar pequenas variações de velocidade do avião (devido à topografia ou direção do vento).

 

  • OPERAÇÃO EM QUALQUER CONDIÇÃO DE SOLO

O avião não sofre a influência de condições adversas do solo, como as devidas às chuvas ou irrigação. Isto se torna mais evidente em regiões com altas precipitações durante o ciclo da cultura. Tão logo cesse a chuva, os aviões podem iniciar o tratamento, não necessitando aguardar que o solo seque.

 

  • AUSÊNCIA DE DANOS A CULTURA

O tratamento aéreo não causa prejuízos por danos diretos à cultura (“amassamento”) ou indiretos, como a compactação do solo. Estimativas indicam que a redução de colheita devida a danos ocasionados pelo uso de equipamentos terrestres, no estágio de aplicação de fungicidas, pode chegar a até 5%.

 

  • AUSÊNCIA DE RISCO DE TRASPORTE DE PRAGAS E DOENÇAS DO CAMPO

Como a aplicação não toca as plantas, não há risco de transporte de patógenos de um ponto a outro da propriedade.